Doe uma Palavra - Flores...

Estava esperando muito pela doação da palavra da Carla, ela trabalha comigo e fiz o pedido da palavra quando lancei o livro Ensaios Umikizu, mas como nada acontece por acaso, ela só conseguiu fazer a doação agora e acredito que não havia melhor momento, pois Flores representam muito bem o Amor e fiquei muito feliz.

Carlinha, só não pude deixar a mudança de lado, ok? Muitas flores para você.

Percorrendo um caminho confortável, brisa suave durante a tarde, passeava pela cidade para onde me mudei. Era um sábado agradável e conhecer o novo mundo onde me instalava era uma aventura divertida.
Havia casas muito modernas naquela vizinhança, arquitetura finíssima, pareciam saídas de uma revista. Jardins bem verdes, desenhados e organizados, área para confraternizar com os amigos, um quintal para crianças, provavelmente, estilo de mansões, mesmo em casas humildes, mas pareciam frias.

Continuando a caminhada conheci a praça onde os jovens se encontravam aos finais de semana, havia bares e lanchonetes, também muito organizados, cada um de um lado da avenida. A praça estava viva! A alegria jorrava nos bate papos e nos sorrisos. Uma cidade feliz, que bom lugar para morar.

Entrando mais para o interior da cidadezinha a paisagem mudou um bocado, das casas muito lineares para muros baixos e irregulares, casas mais antigas, muito bonitas e humildes, com uma novidade: em cada uma delas havia um grande jardim, com flores das mais coloridas. Alguns de flores mistas, outros tinham o jardim todo dedicado a uma só floração.
Enquanto passava, crianças jogavam bola e naquela hora a ela veio parar nos meus pés. Eles gritavam para que eu chutasse a bola e reparei nas crianças, 6 meninos jogavam futebol e 4 meninas assistiam com buquês multicoloridos nas mãos. Peguei a bola, levei até os meninos que continuaram a brincar e perguntei para as meninas se foram elas que confeccionaram tão lindos buquês.

- Fomos sim senhora, mas não são buquês, são arranjos que preparamos para comemorar a primavera.
- Hoje a noite haverá uma grande festa aqui na rua.
- E quem faz o arranjo mais bonito ganha um grande prêmio.
- Venha ver o festival! Você é daqui?
- Estou conhecendo a cidade, acabei de me mudar. - E que sorte ter vindo passear - Que horas começa o festival?
- Às sete, senhora - responderam todas juntas e caíram na risada.

Voltei naquela rua sem esperar nada, mas a paisagem havia se transformado num gigante campo florido. Os jardins agora eram representados por inúmeros arranjos de flores espalhados pela calçada, tão lindos que pareciam obras de arte. As meninas ao me reconhecer deram boas vindas, juntas, novamente caindo na gargalhada, mas minha mente estava tomada pela mudança repentina da realidade.
Passeando pelos arranjos, de orquídeas à roseiras, um pinheiro recoberto de azaleias multicoloridas era uma das faces da primavera. Havia buquês de rosas, de girassóis e lírios brancos com um leve rosado que me deixaram sem ar!

Os portões das casas estavam abertos para que os jardins fossem visitados e cada morador nos falava sobre suas flores e porque escolheram cuidar de um jardim, por exemplo, de tulipas:

- As tulipas são flores muito robustas e elegantes, representam o Amor eterno que resiste a qualquer adversidade. As vermelhas são para os amantes, as brancas o perdão e as roxas luxo e tranquilidade.

Andando mais um pouco, fui de casa em casa, conhecendo suas flores e histórias:

- Aqui eu cultivo as hortênsias e suas diversas cores, uma flor caprichosa. Veja como ela se comporta, agrupando-se nos galhos? Uma verdadeira dama!

- Minha querida, seja bem vinda à cidade, minha filha me contou que você viria e aqui eu te ofereço de bom grado a sabedoria das petúnias e também para que a saudade não te aflija, camélias rosadas.

- E as rosas que aqui eu guardo são das vermelhas que os amantes mais adoram.

As meninas me puxaram pela mão, era hora da cerimônia que premiaria o mais belo dos arranjos. Dividiram o prêmio dois jardins, o de girassóis que iluminou a noite toda com seu amarelo vivo e que encantou a todos, pois foi criado num vaso grande para que não fosse preciso arrancar nenhuma das flores. E o de rosas que formavam uma imagem de Nossa Senhora, com manto azul de hortênsias todo trabalhado com rosas amarelas, uma linda coroa de gérberas e nas mãos segurava um pequeno buque de angélicas representando sua pureza.

Ver tantas flores lindas, seus jardins e conhecer os significados fez com que minha mudança para esta nova cidade fizesse sentido. Todos os dias ao voltar do trabalho, eu fazia uma volta para passar pela rua dos jardins floridos e chegar em casa renovada.
O tempo passou e as crianças que conheci confeccionando seus arranjos hoje tomam conta de seus próprios jardins, por onde caminho feliz e sorrio com tranquilidade, pois sei que essas flores continuarão aqui pela eternidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...

Não morrer jamais...