Doe Uma Palavra - Complacência...

Louise Elisabeth Vigée-Lebrun
Marie Antoinette "à la Rose"
Pela bondade escondida nos atos de violência
Os desentendimentos ocorridos de amores feridos
As inúmeras sentenças de vida e morte pela inocência
Eu rogo-lhe complacente pelos deuses caídos

No interim de uma história cheia de desavença
A oportunidade de sorrir carece de uma bença
E se te importam os bons momentos idos
É a saudade pungente e o amor renascidos

O agora clama a raiva e os rojões retraídos
Mas o tempo todo é tempo de complacência!
Guarda na paz de espírito o ímpeto impedido

Quando chegar a hora de agir, paciência
E sem ferir ainda mais os irmãos combalidos
Resgata em ti, com certeza, o espírito de resistência!

Pelas pazes
Os amores
As relações
E seus calores
Os valores que parecem perdidos
Renascem de um papo
Descontraido

---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/---/

William, obrigado pela palavra e por tudo que ela me fez sentir.
Amigos queridos, obrigado por aproximarem-se novamente de mim. Sou feliz por ter por perto pessoas tão especiais!

Amor e Gratidão a todos vocês!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...