Fiz 30...

E eu não comemorei.
Não tive forças, como não tive força para muita coisa nesses 30 anos.
Imaturo, indeciso, inseguro... Não que isso seja extremamente diferente agora, mas algo mudou, definitivamente é diferente atingir os inta.

Escrevo este texto tomando um moscatel que comprei só pra mim. Tomei um no Ano Novo, mas não senti o gosto. Não fazia sentido tomar um bom espumante na virada do ano sendo que eu não me sentia novo, me sentia fazendo coisas que sempre fiz mecanicamente, sem empolgação, simplesmente porque era assim que se fazia desde sempre.
Hoje é quarta-feira a noite e eu estou tomando um moscatel porque eu quero! Já fiz muito disso, mas hoje eu to fazendo com uma propriedade absurda. Com a calma de ter 30 anos e isso ser argumento suficiente para justificar qualquer coisa. Queria ter 30 aos 15, para poder dizer tenho 30 anos, não me encha o saco!

Não tive força alguma antes dos 30. Não me mantive onde meu coração me implorou para ficar, ouvi pessoas menos e mais experientes que eu e aceitei a realidade deles como se fosse uma verdade maior que a minha. Agora eu posso simplesmente quebrar a cara sozinho, tenho 30 anos e você não pode mais me dizer o que fazer.
Inclusive, aos 30 a gente começa a escolher. Eu escolho se eu falo com você ou não, se eu quero sair ou não, se eu tomo moscatel ou não. De manhã, de tarde ou de noite.

Esse poder de escolha é algo muito interessante. Antes dos 30 é comum dizer o que a gente não quer ou não gosta, à partir dos 30 você começa a pensar no que quer e do que gosta e corre atrás disso, deixando de fugir do que não gosta. É tão simples, mas parece que antes a gente não consegue ver. Se você viu e vê mais jovem, parabéns, problema seu! Saca? Ouve o que eu to dizendo e tenha 30 antes dos 30. Quanto mais cedo descobrir o poder dos 30 melhor para você.

Eu não fui forte nem resiliente o suficiente para conseguir o que eu lutei para ter. Não por um tempo, na verdade eu consegui tudo que eu queria, mas eu não sabia que eu podia querer mais, não sabia que dava para ter tudo. Programação da minha criação, do meu crescimento e de minhas experiências pessoais até agora, que finalmente posso trintar e destrancar. Hoje estamos buscando essa mudança que era impossível na minha infância. Tínhamos que escolher ganhar dinheiro, estudar para passar na faculdade e conseguir um bom emprego, sem nem saber como o mundo seria transformado em alguns anos. Essa foi minha realidade até agora e vejo pouca saída mesmo hoje. Poxa, muita gente já chegou em mim antes e me disse que eu podia ter sido e feito diferente. Não podia não. É estúpido demais pensar que eu posso mudar o passado, não dá. Eu posso fazer diferente à partir de agora. Com 30, já estou fazendo diferente, deixando o passado passar, aprendendo com ele sem deixar que ele controle meus passos daqui em diante.

Hoje eu estou completando 30 e vendo meus amigos e conhecidos que tiveram a força que eu não tive, a resiliência de permanecer e continuar a buscar enquanto eu fui peregrinando por outros caminhos e aprendo com eles o que preciso trazer para mais perto de mim e não o que eu queria afastar. Precisamos todos fazer 30. Até fazer 40 e depois 50. Cada década com sua sabedoria para passar. Só que os 30 são os divisores de água de uma vida e à partir deles tudo só melhora como vinhos, como o moscatel que eu abri só para escrever sobre meus 30, comemorar o ano novo de verdade e tomar saboreando tudo isso porque é o que eu quero e o que eu gosto. Trintei de vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...

Não morrer jamais...