Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O sonho de criança...

Já quis ser muita coisa, uma das coisas que queria ser era arqueólogo. Não deu certo, mas seria incrível! Imaginava-me em expedições por pirâmides egípcias e por matas na Romênia, explorando o deserto do Saara e as geleiras da Groenlândia. E não foi um sonho influenciado por Indiana Jones ou outra ficção relacionada ao tema, mas porque desde criança tenho uma curiosidade impossível e vontade de descobrir os mistérios que ninguém mais consegue ver.
Por essa razão, eu exploraria lugares onde ninguém mais foi, claro, mas minha principal vontade era entrar nas tumbas e nos sítios já explorados e encontrar tudo que os antigos arqueólogos e cientistas descuidados deixaram passar. E por sentir sempre que eles deixavam algo pra trás, eu pensava qual era a razão pra isso. Os adultos, para mim, sempre foram muito descuidados. Ainda somos, agora que sou adulto sei ainda melhor.

O olhar e a curiosidade das crianças são puras e livres de filtros que vamos construindo de acordo com as "podas" que recebemos quando estamos crescendo. Por mais que você fosse descobrir por experiência que dentro de uma pedra só tem mais pedra e que é muito difícil ficar abrindo pedra por pedra só para ter certeza de que só tem mesmo pedras dentro das pedras, a criança é teimosa além de curiosa e não tem nada a perder, nem mede seu tempo em cifras, então ela emprega seu tempo na descoberta dizendo: "E se testarmos todas menos uma e, exatamente nessa última, estiver um grande diamante?". Sempre pensei que os arqueólogos deveriam levar uma criança junto com eles em suas expedições e os cientistas deveriam checar o resultado de suas pesquisas com a experiência curiosa de uma criança, que faz perguntas tão absurdamente brilhantes, com suas teorias improváveis, que o resultado final poderia ser muito mais completo. Mas quando cresci, percebi com mais e mais pesar que os adultos não reconhecem o intelecto das crianças.

A desobediência das crianças, na maioria das vezes tem seus fundamentos. Os meus eram sempre porque havia algo muito urgente que eu deveria fazer, para salvar o mundo, ou salvar o jogo no vídeo game. As crianças salvam o dia, o mundo, o seu herói o tempo todo. Se não é no virtual é na imaginação. As crianças sempre estão pensando em tudo que ocorre a sua volta e isso é muito importante.
Quando uma criança diz: "Tenho uma ideia". Ouça sua ideia! Ela ficou muito tempo pensando sobre aquilo. Nenhuma criança fala nada da boca pra fora e você reconhece isso em seu olhar. Ela fala com a certeza da inocência. Isso nunca deve ser ignorado. Pode ser que a ideia dela seja colocar uma amoeba para fazer a forma da chave do cadeado e assim você consegue abrir e entrar em casa quando você esquece a sua chave. Bem, outras vezes pode ser simplesmente uma ideia carinhosa para tentar te ajudar, mesmo que não seja efetiva, mas ela vai até tentar usar magia para abrir o cadeado para te ajudar. A criança está se esforçando e pensando numa solução, enquanto você só consegue pensar que está cansado e quase chora. A criança não desiste, então você também não deveria, entende?

O que meu arqueólogo mirim, que ainda vive dentro de mim, me ensinou é que eu tenho que manter meu olhar atento para as coisas que os adultos ignoram porque é naquela última pedra que está minha sorte, é naquela porta que não conseguimos abrir que está o que viemos buscar nessa tumba úmida e cheia de teias de aranha. Ela grita pra mim: "Não Desista!!!" E eu não desisto. Então não desista nunca, nem deixe sua criança fugir do adulto que você se tornou.

O sonho de uma criança - Imagem da Internet sem autor reconhecido

Um comentário :

  1. As pessoas que deixam sua criança interior visitá-la com uma certa frequência são as que tem mais chances de extrair o "belo" do "tudo".
    Abração.

    ResponderExcluir

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!