Algo sobre dor, no corpo...


Dor, já pode ir agora.
Obrigado por me lembrar que tenho costas.
Obrigado por me mostrar que falta alongar.
Agradeço por existir também no corpo todo.
Agora, pode ir, me deixe sorrateira como veio,
pode deixar que eu cuido do que me alerta,
vai em paz e lembre o próximo corpo que,
se não cuidar bem direitinho, ele atrofia.
Dor, obrigado. Vá em paz...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...