Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

terça-feira, 14 de julho de 2015

O Brasil e sua cultura representada na Arte...

História da Arte é uma matéria que nos falta na educação, na formação e também na criação. Pois nos coloca dentro e de frente com a representação de quem somos. Pede que a observação da realidade seja praticada no dia a dia e confrontada com o que vivemos e com as representações já feitas. Por essa razão eu estou completamente chocado com a palestra de Jorge Coli "A questão do Realismo e intenções Brasileiras na Arte do século XX", provando que eu não sabia nada sobre a Arte e as representações do meu país e dos artistas Brasileiros. Vivemos uma ilusão cultural, construída e imaginada, sem bases na nossa realidade ou na observação do que nossos conterrâneos passaram e viveram por aqui.



Na palestra, Jorge nos coloca a par das representações de artistas Brasileiros sobre os momentos históricos e do nosso povo. Os índios e os negros, que formam as 3 raças junto dos portugueses que nos colonizaram, não são retratados em sua real posição social até o século XX, e quando são retratados, as obras são desconhecidas ou guardadas em grandes museus.
Claro que não tenho a pretensão de acreditar que não haja obras que representem nosso povo e nossa realidade histórica, afinal de contas na palestra o historiador falou sobre os grandes nomes das artes plásticas e a representação que era encomendada da Arte como um serviço de comunicação e, como bem sabemos hoje, de imposição também, afinal a Arte era uma das formas de comunicação.
Representando isso temos o que Jorge mostra na palestra sobre as obras: "A primeira missa no Brasil" de Victor Meirelles (1861) e "Independência ou Morte" de Pedro Américo (1888). São obras baseadas em relatos e não em observação, não representam portanto o que realmente aconteceu.

Em uma pesquisa rápida, descobri que o artista plástico e museólogo Emanoel Araújo resgatou alguns artistas Brasileiros negros e que retrataram nossa realidade e nosso povo e a vida como ela era. Veja mais na matéria do Uol: http://educacao.uol.com.br/disciplinas/artes/pintores-negros-contribuicao-negra-a-arte-brasileira.htm. 10 desconhecidos que representam muito bem nossa vida aqui no Brasil.

Assim como esses artistas, muito da nossa realidade e do nosso povo de verdade fica escondido. E temos a visão do estrangeiro como uma realidade por aqui. Não é real, mas tornou-se real. pelas representações que temos e porque é muito mais bonito de aceitar a realeza, belas paisagens e de um povo branco como eram os portugueses, italianos, franceses, holandeses, em suma os europeus, que vieram para cá, do que aceitar os índios que já viviam aqui e os negros que foram trazidos como escravos.
A população do Brasil ainda hoje é formada em sua maioria por negros e pardos 51% segundo o IBGE, porém a representatividade dessa parte da população ainda é muito baixa. Tanto na Arte, na mídia e na porcentagem de presença nas universidades. Muito se explica com essa palestra e com a história da representação na Arte até esse momento do nosso país.

Temos ainda um longo caminho pela frente pelo respeito à diversidade que foi deixado de lado por tanto tempo, e também pela nossa própria identidade como nação. Pessoalmente, acredito que não existe nacionalismo nem patriotismo no Brasil, podem me criticar, mas não é nada patriótico dizer, em protestos por melhorias, que o "país é de merda", e só se ouve isso dos brasileiros descontentes por não viverem nos moldes estrangeiros, já faz um tempo. Então vamos continuar a valorizar as Artes e artistas locais, o nosso povo e a nossa realidade Brasileira, sem romantizar ou "europizar" ou "americanizar" ainda mais nossa cultura e sociedade.

PS: em conversa com um amigo que esteve nos EUA, ele comentou que lá o imediatismo e a ansiedade move a sociedade, e isso está sendo trazido para o Brasil, como consequência natural das grandes potências influenciando os outros países. Pena que não nos inspiram o patriotismo pela nossa nação, porém pela deles.

O Dia Seguinte - 1913 | Artur Timóteo da Costa

2 comentários :

  1. Ótima intenção e postagem.

    Eu acredito que boa parte de nossos problemas sociais (sobre tudo os comportamentais) seriam extintos se todos nos sentíssemos parte desta nação.

    Se eu - que não sou ninguém - não buscar melhorias e acreditar nelas, quem fará? Acredito ser inocência demais pensar que um governante que já está com a vida feita e os bolsos cheios terá de nós compaixão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente linha de pensamento Ayron!
      Nós somos os responsáveis, a todo momento, por onde estamos, moramos e somos sim, responsáveis pelo país. Não é culpa, é responsabilidade.
      Cabe a nós exigir as mudanças. E mudar quem as faz.

      Excluir

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!