Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

domingo, 31 de maio de 2015

frio...

poxa, que dia frio. a chuva passou por aqui e já foi embora, mas o sol não deu as caras. e o dia continua frio. bateu um sono, um arrependimento de ter levantado da cama. passou por aqui também a família, passou voando, apenas para fazer vento, fazer vento e deixar o frio mais gelado.
passaram as horas e o cobertor, meu amigo, não largou de mim. nem o frio. mesmo o frio não sendo meu melhor amigo já faz um tempo.

eu mudei um pouquinho. gostava de algumas coisas que não gosto mais. gosto de algumas coisas que nunca gostei antes. só não sei dizer o que mudou, nem como, não percebi acontecendo e o frio aqui comigo. algo ficou mais gelado com o passar do tempo, e divagando não sei dizer porque, nem pensando dia e noite eu encontrei razão. também não me encontrei mais com você.

viver sozinho, ficar quietinho, esperar com calma, lutar cada dia, cada batalha e seguir com o ciclo. é assim que eu fui ensinado e por mais que haja diferenças no percurso, o plano já estava traçado, e eu não percebi. nem reclamei disso quando me dei conta tarde demais. agradeci e segui meu rumo sem culpar ninguém, guardando pra mim a lição e o frio.

estou gelado, com a garganta doída; será o frio, será o vento ou será alguma coisa presa? deve ser a saudade do frio de quando era criança, que quando vestia calça e blusa comprida se sentia um super herói com capa e, quando colocava a touca em dias de muito vento, tinha até um capacete! eram os heróis da minha infância, o frio e a roupa comprida, mas eu não sabia. e hoje eles são minhas companhias. só por hoje.

é que hoje eu não sei de mais nada, e não sei nem onde estou, apesar de estar em casa. hoje eu estou perdido e com frio, com dor de garganta e sem saber o que preparar para o jantar. quem sabe macarrão? é domingo, ou talvez frutos do mar, já sei! omelete! talvez peça uma pizza se tiver dinheiro. o que eu queria era receber uma visita que ficasse, um amigo para conversar, ou um pouquinho de carinho. talvez desse tipo de alimento que eu estou precisando para finalmente me esquentar... É...


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!