Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Indicação: Interestelar...

Uma das melhores fotografias do filme
Este foi o primeiro filme de ficção científica de verdade que assisti depois de anos! Me senti assistindo Jornada nas Estrelas nos anos 80, sentado na minha sala e preso na tela de projeção empolgado com a história e com os efeitos especiais. Que aliás, neste filme foram muito bem trabalhados, são poucos, simples e úteis. Não é só um filme de ficção científica com efeitos especiais, nem só um filme, é uma excelente história, com bases sólidas, muito bem amarrada.

Em uma época em que pragas atacam e destroem as plantações pelo mundo e a sociedade se resume a uma civilização agrária que luta para cultivar alimentos e suprir as necessidades da população, Interestelar conta a história do fazendeiro Cooper e sua família. Cooper (Matthew McConaughey) é um ex-piloto da NASA e vive em uma fazenda onde planta milho, uma das únicas espécies de plantas que a praga ainda não atacou, com a ajuda do sogro Donald (John Lithgow) e com os filhos Murphy (Mackenzie Foy) e Tom (Timothée Chalamet).

Murphy reclama sempre de um fantasma em seu quarto, que derruba livros de sua estante, mas não tem medo e curiosa tenta encontrar um significado nos eventos em seu quarto. Este é um dos atrativos do filme, pois depois de uma tempestade de areia, fenômeno que acontece com frequência e cobre de pó toda a cidade, Cooper e Murphy decodificam uma mensagem deixada pelo fantasma na poeira e encontram uma base da NASA e um antigo conhecido de Cooper, o cientista e astrofísico Professor Brand (Michael Caine). Na base, eles descobrem que existe ainda um esforço para encontrar um planeta com condições climáticas e biodiversidade capaz de manter a vida dos humanos e que algumas naves aviam sido enviadas para lugares distintos no espaço em busca de outros planetas e possíveis galáxias onde pudessem levar as pessoas da Terra ou que pudessem colonizar. NASA havia recebido sinal de pilotos de 3 possíveis planetas e agora seria necessário um piloto tão habilidoso quanto Cooper para fazer o reconhecimento desses planetas.

Não quero dar nenhuma prévia do filme a mais, este é o mote resumido, que me fez pirar no restante da história e como ela foi conduzida de forma brilhante, com enfase nos conflitos humanos e nos instintos de sobrevivência. É um filme longo, mas que vale cada segundo, pois cada parte, cena e fala estão ligadas com genialidade e são essenciais para o completo entendimento da história. O roteiro é rico, e a fotografia é simples mas bastante expressiva. A trilha sonora de Hans Zimmer completa o filme de maneira espetacular, tudo muito simples e significativo. Toda a trilha é instrumental e acontece na hora certa do jeito certo! Com a genial direção de Christopher Nolan.

Ouvi muita reclamação em críticas e em conversas com amigos que assistiram o filme sobre a última cena que, para eles, destruiu o filme. Se você também ouviu essa besteira e não assistiu ao filme, desconsidere e assista sem preocupações. Para quem assistiu e pensa assim, peço que assistam ao filme com a mente aberta. É uma ficção científica muito bem feita e que leva em consideração as teorias da Física Quântica, que vai além de tudo que nós compreendemos, mas que faz todo o sentido se levado em consideração com mente aberta e racionalmente.

Para refletir: o que não tem explicação ou comprovação, pode ser absolutamente qualquer coisa, não há limites, especialmente não há o limite da mente humana atual. Então deixe de ser o dono da razão, pois nem a própria razão existe para a física quântica.

Indicadíssimo! Um filme excelente que faz pensar e que alegra aos olhos e às mentes curiosas.

Anne Hathaway complementa o elenco. Com um papel importante. Assista!

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!