Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

sábado, 31 de maio de 2014

Arte: Ser +!

Ahhh essa minha mania de ser positivo,
de pensar sempre no melhor,
mesmo nas piores situações,
ainda vai me matar!
Ahhh vai!

Vai me matar de rir
me fazer continuar
você pode me zoar
eu não vou desistir!

Sabe, na vida a gente escolhe
seguir atrás de algo ou de alguém
eu não vou só seguir ninguém
vou escolher meu próprio caminho

Cair, e cair de novo,
sem bater a cabeça
sem se machucar demais
buscando finalmente encontrar

Aquele novo lugar,
um novo eu pra lutar
algumas algemas quebrar
e no final do horizonte
mesmo que seja distante
mais uma vitória alcançar

E pra que eu saiba o final
não basta esperar
quando a hora chegar
vou abrir mais uma vez
aquele sorriso sincero
de quem não deixou pra depois
e que de braços abertos
recebeu sem pausas pesadas
a saudade de ser um eterno aprendiz!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Indicação: Falling Skies...


Depois de muito relutar e fugir, eu me entreguei à série de ficção científica Falling Skies da TNT e não me arrependo nenhum momento. Apesar de ser bastante criticável e conter algumas cenas que acontecem pelo bem da continuidade e não de forma tão natural, quase impossíveis e olhe que estamos falando de uma série com aliens atacando a Terra, se perdoarmos esses detalhes (não tão pequenos) vemos uma série que vem alertar sobre muito mais que uma ameaça alienígena, mas a ameaça que nós mesmos nos fazemos todos os dias.

Fallen Skies conta a história da resistência contra um ataque alienígena que chegou na Terra e que devastou muitos países, matou milhões e que curiosamente os aliens capturam crianças e adolescentes para trabalhar e colher materiais, fazendo deles escravos com um dispositivo cravado em suas costas através da coluna.

Durante os conflitos com os alienígenas e enquanto o grupo da resistência luta pela sobrevivência e aprende cada vez mais sobre os seus opressores, eles enfrentam a pressão de viver sempre com a possibilidade de ser o próximo a morrer ou perder um amigo ou membro da família para os "Skitters", criaturas de 6 pernas, verdes (clichê) e cara de insetos gosmentos.

Obviamente, existe na trama um forte apelo psicológico e social, mostrando o verdadeiro lado dos seres humanos, não somente quando em uma situação crítica, mas como nós agimos quando não há esperança, quando os extremos são a sua realidade! Vida e morte mudam a visão e a personalidade de uma pessoa rápida e drasticamente. E o quanto abusam de quando estão acima dos outros, poderosos e alucinados. E os conflitos continuam e melhoram a cada episódio. A melhor parte é que cada temporada tem apenas 10 episódios, que faz a série simples de acompanhar e apesar de jogar muita informação, não é cansativa.

Outro fator que me chamou muita atenção na série é a relação dos personagens principais da rebelião, Tom Mason (Noah Wyse), professor de história e Dan Weaver (Will Patton), comandante da resistência chamada de "2º Mass". Um acadêmico e um militar lutam juntos e trabalham em estratégias que levam o grupo a progredir e aprender sobre os inimigos e ultrapassam suas limitações com a união dos seus conhecimentos para sobreviver. E sim, é somente sobreviver! Pois a coisa é sempre pior e pior cada vez mais.

Intrigante, excitante e com muita ação e reflexões. Espero que todos consigam enxergar 10% do que eu posso tirar das situações reais ou fictícias que eu presencio. E isso me faz conhecer coisas. Conhecer pessoas. Conhecer, nunca é demais!


segunda-feira, 26 de maio de 2014

Menina italiana...

Federico Andreotti - sem título
Então eu encontro uma pessoa que nunca imaginei conhecer, uma italiana que me deixou sem palavras perante sua bravura e desprendimento. Deixou tudo para trás para seguir o seu sonho, que finalmente encontrou depois de algum tempo presa na vida que todos dizem que a gente tem que levar. Essa menina me fez refletir sobre toda minha vida, sobre todas as minhas ações, sobre tudo que eu realmente acredito, me dando uma saída para uma pergunta que insistia em minha mente: porque não?


Sabe como responder isso? Eu não sabia, mas não importou quantas vezes eu me fiz essa pergunta ou quantas vezes eu fizesse essa pergunta para outras pessoas, todas as respostas me ajudaram muito, pois foram me preparando para cada novo desafio, mas nada realmente respondia completamente, afinal de contas, eu tinha que encontrar essa resposta por mim mesmo e a ajuda que eu tive de uma experiência de vida e de coragem diferentes das minhas, foram mais do que eu precisava.

Havia vida em cada palavra e o olhar que ela me dedicou, deixando um pouco dela e da coragem que teve, em mim me fizeram abrir ainda mais meus olhos, expandir meus horizontes e conhecer que nada no mundo ou a opinião de qualquer pessoa é mais importante que a nossa própria. E o valor da minha vida cabe somente a mim decidir. Dediquei isso a mim mesmo depois de um tempo e então eu fui para a minha própria vida! Decidi não mais aceitar o que não me fazia bem e correr os riscos de viver de acordo com meus princípios e meu coração. E para te dizer a verdade, é a melhor coisa que eu já fiz, e por isso fui recompensado.

Não sei o que seria de mim, ou do meu futuro, sem essa surpresa e na verdade, ainda não sei o que será do meu futuro, mas agora depende só de mim, pois assim que decidi fazer minhas próprias escolhas, comecei a colher melhores frutos. Sei que vai ser difícil, mas é menos difícil que engolir sapo, que aguentar problemas que eu não preciso e que enganar não só a mim mesmo, como outras pessoas também.

Obrigado, menina italiana, por me mostrar um pouco mais de mim, e muito obrigado por todas as surpresas que seguiram após nosso encontro. Agradeço por conhece-la! Gratidão por cada um que lê aqui também!
Beijos e abraços.

sábado, 17 de maio de 2014

O ingrediente secreto...


E quando dizia que te amava não era por acaso, era uma forma frágil de confessar que não queria te deixar e nem mesmo me separar de ti, mas acabou, não é? Eu estava iludido, acreditando que podíamos ter momentos bons, sem arrependimentos ou aqueles momentos de consciência pesada que os amantes passam sem razão. Mas eu estava enganado, não é?

Sabe que eu nunca cheguei a ver a gente junto de verdade? Somos tão diferentes e sem nada que realmente nos caberia lutar, quem sabe até fosse por isso que daria certo, mas eu não acreditei a fundo. E olha só no que deu? Eu estava certo desde o começo, o nosso romance não era pra ser mais que um caso isolado, que acontece no intervalo das novelas. E mesmo assim, vai ficar comigo como a gente ficou.

É que dessa vez parece pra sempre, acho até que a gente não se sinta mais tão a vontade quanto era pra ser, sem mudar nada entre nós ou sequer dizermos uma palavra. Eu estou com o pé atrás, tomando cuidado sem necessidade, você já me falou que não tem nada demais e eu não consigo descansar.

É que eu tenho esse jeito de ter com os outros um laço resistente e bonito, não importando muito se ele um dia se parte, eu conserto e guardo comigo num bauzinho com seu nome escrito, algum coração, pedaço do meu, e uma única lágrima. Não é de dor nem de tristeza, é só o ingrediente que fez maior diferença para alguém como eu, que não tem medo de chorar de felicidade!


terça-feira, 13 de maio de 2014

Um dia a mais...

É hoje, e como sempre estamos atrasados, acordei tarde porque trabalhei a noite toda, a semana toda, a vida toda e se isso fosse desculpa eu não estaria nessa luta pela liberdade que ainda não possuo, de poder estar ao lado dos que eu amo e quero bem, pelo menos uma vez, pelo menos hoje. E que hoje seja hoje, amanhã e sempre. Incansavelmente pleno como o tempo que passa, mas continua inteiro pelo tempo que for necessário.

Hoje é este dia, em que as saudades apertam o laço em volta das pessoas que se fazem presentes na minha vida ou mesmo na minha memória, esta que nunca se cansa de lembrar das boas vitórias, das risadas e também das desgraças que nos fizeram chegar até aqui, onde estamos agora, nesse hoje cheio de dia que não passa. É que hoje é toda hora, e por mais que acabe o dia, hoje continua sendo a página verdadeira da nossa história. As outras que passaram são memória, saudade e recanto. As que virão, ainda não são, ainda não.

Temos hoje para mudar tudo, fazer tudo, então para de parar por hoje, não existe amanhã. Se não for hoje, não há perspectiva de dia nem de quando poderá ser, e você vai ser mais um que não é. Não é porque não quer, porque não faz ser. Não to pedindo pra fazer agora, não é questão de pressa ou de horário marcado, é só que ontem já não se faz mais nada e amanhã pode ser tão distante que pode ser que não chegue mais. Hoje é possível, hoje é legal! O dia de hoje é o que faz a diferença, não perca ele de vista, nem perca ele de novo, não mude o dia, e aproveite hoje para finalizar sua história.

Quando esse capítulo acabar e você não tiver mais nada pra fazer, que tal só por hoje, tirar um dia de lazer? Vai fazer bem pra você, renovar a cabeça, relaxar o corpo, mudar os rumos é um desafio que apavora, então vai preparado para ir embora, deixa ir o que não pode segurar e se solte do que grudou demais e não te deixa caminhar em paz. Larga desse dia sem medo e vai pra lá pro mundo. Vai aproveitar o dia hoje também.

E se não der tempo hoje, deixa o dia ir embora devagar, leva o que puder carregar e faz de novo, começa outra vez no novo dia que raiar. O novo hoje é ensolarado, repleto de luz e calor, combustível indispensável acompanhado de um cafezinho e pão com manteiga de manhã. Hoje começa com uma brisa suave de outono, cheiro de mato misturado com coragem, e o canto dos pássaros cortado pelo galo cantando. É hoje de novo, e hoje é o dia de fazer e acontecer.

É hoje, e dessa vez eu acordei mais cedo, levantei animado e fui pra mais um dia repleto de coragem pra fazer o que preciso, pensar no que eu gosto, terminar os meus trabalhos e pensar no meu dia sem muita encanação. Hoje é apenas mais um dia, mas é isso mesmo que faz com que eu caminhe aliviado, porque é um dia a mais para ser extraordinário!

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Nós...

Não sei pensar na primeira pessoa do singular. Eu... é tão meu isso... Incompleto e pode ser muito mal interpretado. Quando não é egoísta, mesquinho, insensível. Não é como Nós que temos tudo, eu tenho só o que me pertence, e como nunca estou satisfeito, prefiro que nós estejamos juntos, com tudo, tudo mesmo.

Talvez isso seja possessividade, também pode ser a vontade de ter o que não me pertence ainda. A ambição calma de poder sem tanto sofrimento, e a companhia de nossas conversas. Algo que nos pertença é livre, está em nós dois, em mais de nós. O que é meu, só meu, não nos importa, não sai daqui nem que você me peça.

Todos nós somos livres, e juntos temos muito mais força para fazer a vida acontecer, nós somos muito mais juntos que uma só pessoa, que só eu posso ser, mesmo sendo seguro do que posso fazer sendo eu, mas que isso passa a ser uma afronta a você: "como é arrogante esse solitário"! Só não duvide da minha palavra...

Eu sou só um, sou só eu. Nós, não importa o número, seremos sempre nós, com a força do plural, a pluralidade cultural e a soma de conhecimento e sabedoria que podem fazer a diferença no final. Então, sem esquecer que você está conosco, faça como eu e acredite que NÓS somos capazes de fazer a vida mais bonita, o mundo melhor e tudo que todos nós temos valer a pena!

sábado, 3 de maio de 2014

Desapega!


Baseando-me na lei da atração, e crendo que nenhum de vocês a leve realmente a sério, eu peço que prestem atenção nessas poucas palavras que tenho a lhes oferecer. Por favor!

Para quem ainda não sabe: o IBOPE é uma das maiores EMPRESAS de pesquisa de MERCADO da América Latina. A empresa fornece um amplo conjunto de informações e estudos sobre mídia, opinião pública, intenção de voto, consumo, marca, comportamento e mercado, no Brasil e em mais 14 países.

Cada vez que você fala sobre algo, seja positiva ou negativamente, você só está aumentando o "ibope", seja esse algo uma marca, uma empresa, um produto ou um serviço. Você está fazendo o que esse algo quer que você faça: Fale bem ou fale mau: fale de mim!
E isso, especialmente para os casos em que algo seja ruim, danoso, promíscuo ou prejudicial aos seus e ao todo, quanto mais você falar, mais esse algo ruim terá forças. Mais gente vai saber sobre ele, mais você vai atraí-lo para sua realidade e para o seu convívio. Evite, ignore, descarte! Só assim você vai se livrar do que não gosta.

Indiferença diminui a credibilidade, a eficácia e também diminui o "ibope", tornando aquele algo fraco e deixando que o tempo o leve embora, falido e desestabilizado. Não vou citar exemplos, por não querer aumentar o índice de mercado de ninguém, mas existe uma certa rede de televisão que todos queremos que deixe de ter tanto poder, mas por falarmos tanto e continuamente sobre ela, acabamos por dar-lhe muito mais poder por tanta propaganda gratuita que fazemos em todos os lugares, protestando contra, tanto nas redes sociais como nas ruas.

Que haja a luta pela solução dos problemas, que haja a reivindicação de melhorias e dos nossos direitos, especialmente o respeito, mas que deixemos de fazer propaganda para o que não apoiamos, não gostamos e não queremos mais em nossas vidas. Afaste-os e deixe que o tempo se encarregue de levar embora do mundo o que você já tirou da sua vida. Evite o que você não quer mais...
E já que está na moda: Desapega!

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Samhain... e Arte...


O Samhain é a celebração do Ano Novo Celta ou o Sabbat que comemora o início do inverno, neste dia mágico, acredita-se que a barreira entre o nosso mundo e o espiritual se estreite, assim sendo, um dia para honrar nossos ancestrais que já partiram para o "País do Verão", acredita-se que neste dia, eles podem vir para o nosso plano espiritual e por isso fazemos oferendas e festejamos sua presença.

Celebrado no dia 1º de maio no hemisfério sul, e dia 31 de outubro no hemisfério norte, o Samhain acontece no auge do Outono, o Sol está cada vez mais fraco, as sombras crescem junto com o frio, as árvores perdem as folhas avisando que o Inverno está chegando e acredita-se que por isso a morte vaga pela Terra, levando embora o que precisa morrer para que haja espaço para o que precisa chegar.

"Samhain é a noite em que o Velho Rei morre e a Deusa Anciã lamenta sua ausência nas próximas seis semanas. O Sol está em seu ponto mais baixo no horizonte, de acordo com as medições feitas através das antigas pedras da Britânia e da Irlanda, razão pela qual os Celtas escolheram esse Sabbat, em vez de Yule, para representar o Ano-Novo. Para os Antigos Celtas, esse dia sagrado dividida o ano em duas estações, Inverno e Verão. Samhain era o dia no qual começavam o Ano-Novo celta e o Inverno, por isso era um tempo ideal para términos e começos."
Casa do Bruxo - Samhain

Dia de recomeços, de mortes, de fins e inícios.
Feliz Samhain!

Artes de Charles Wysocki