Você tem a razão...


A minha razão é diferente da sua e, naturalmente, a sua é diferente da minha.
Isso só seria definitivo se fosse uma equação matemática onde com algum trabalho chegaríamos à uma resposta exata, e tratando-se de matemática como ciência, indiscutível.
Porém não acontece com a teoria nem com as nossas opiniões, que podem gerar uma discussão infinita e, que sem ultrapassar outras barreiras psicossociais, não levariam à resposta alguma.
Analisando essa afirmação, não existe razão alguma que possa ser exata.

Do pouco que conheço sobre a razão, se existem outras formas de pensamento, ela deve analisar cada uma com justiça considerando todas as possibilidades para encontrar o denominador comum e então esta resposta estará mais próxima da Verdade, mas não deve ser considerada absoluta, pois não sabemos quantos outros fragmentos ainda podem ter sido deixados de lado ou são desconhecidos até então.

Para fins da decisão de uma discussão sobre ideias onde são apresentados um número limitado de opiniões, pode-se chegar à uma conclusão satisfatória para todas as partes daquele cenário, a racionalidade então mostraria uma face da verdade, que resolveria o problema e finalizaria a discussão de forma equilibrada e lógica, mas de maneira alguma seria a Verdade absoluta que instintivamente buscamos.

"Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas."
~ Friedrich Nietzsche

Opiniões mudam com o tempo e com as descobertas que desconstroem antigas teorias e pensamentos, mesmo assim a Verdade absoluta é desconhecida por uma simples razão: continuamos a descobrir novas informações sobre o que já conhecemos, e seria muito precipitado dizer que a encontramos por entender de uma ou outra teoria ou mesmo ciência considerada exata.
A busca da Verdade é a razão que faz com que a humanidade toda levante-se da cama, trabalhe, comunique-se, pesquise, etc. A nossa vida é uma eterna busca pelo que não conhecemos ainda.

A humanidade tem um grande caminho a percorrer, já que muitos param suas buscas ao encontrar sua parte da verdade e frustram-se com facilidade ao perceber algo incorreto em suas afirmações, até aquele ponto, tão certas. Neste contexto, eu costumo dizer: "Você tem a razão, mas não busque por certezas."
A certeza é a abstinência de dúvidas, e quando se trata de assuntos tão abstratos como a Verdade absoluta, é possível fazer uma afirmação certeira e errar. A certeza é exata e até mesmo nas disciplinas exatas muitas descobertas que eram certezas comprovadas são reavaliadas com a aparição de novos fatos, portanto não eram completas.

O que conhecemos até agora é a nossa verdade e para encontrar paz na nossa existência ela deve ser vivida plenamente, porém sem fechar nossa visão para o novo, sem fazer-se uma certeza que não existe.
Acreditando que a vida é uma eterna busca pela Verdade deixamos ligada a nossa capacidade de aprender e compreender com humildade novas informações, que devem ser avaliadas pela razão e então transformadas em conhecimento. Isso é possível em qualquer parte da vida pessoal ou acadêmica, psicológica e espiritual, nossa existência é uma contínua sinapse de informações que são processadas, analisadas e transformadas em conhecimento, retendo o que nos faz bem e eliminando o que não nos interessa.

Com esse texto espero que perguntem-se sobre sua verdade e antes de dizer que tem certeza de algo, ou que a opinião e informações que lhe são apresentadas são certas ou erradas, analise com base na razão e não na emoção sobre o assunto.
Boa reflexão.

"Não há nada no mundo que esteja melhor repartido do que a razão: toda a gente está convencida de que a tem de sobra."
~ René Descartes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...

Não morrer jamais...