Assumindo a parada...

Com tanta discussão sobre homossexualidade, acredito que é importante que casos positivos se manifestem, portanto vou lhes contar sobre a minha experiência.
Faz 10 anos que eu me reconheci e assumi gay, e 8 anos que assumi minha sexualidade para meus pais.
Devo ressaltar que fui abençoado com uma família maravilhosa, mas a aceitação partiu primeiro de mim e com isso em mente lhes digo: assumir-se gay é finalmente libertar-se das correntes que tanto nos impunha a sociedade e entender que sua sexualidade não define quem você é.

Depois de me assumir, mesmo não tendo ainda contado aos meus pais, eu já senti a diferença de me sentir mais solto ao falar sobre o assunto com meus amigos, sem medo que alguém ouvisse ou que fosse descoberto, e à partir deste ponto entendi uma coisa muito importante, que temos um medo imaginário que todos estão prestando atenção em você e são vigias dos seus atos e da sua sexualidade, ou que qualquer palavra relacionada à homossexualidade mesmo cochichada seria audível até da China se pronunciada por você. A grande maioria desses medos ou receios são bobagem, pois assim como você, as outras pessoas estão cuidando de suas próprias vidas e, se ainda não chegou, vai chegar uma hora que você vai se preocupar tanto com a opinião dos outros como se preocupa com o anel em torno de Saturno, vai por mim.

Uma experiência: para a audição do musical "Wicked" eu fui pintado de verde, como a personagem Elphaba, e depois da audição, saí para tomar um café ainda pintado de verde. Eu estava receoso que as pessoas fossem olhar, brincar, zoar, mas fui mesmo assim, e para minha total surpresa, só duas pessoas olharam e riram, o resto nem percebeu! no meio de uma cafeteria cheia. Então, meus caros, esqueçam o heliocentrismo! Os gays são mais comuns que uma pessoa verde!

Contar para os pais é uma tarefa titânica, exige confiança e planejamento. Se você ensaiar o discurso é melhor, mas você tem mesmo é que se preparar psicologicamente para possíveis perguntas e principalmente para acusações. Importante dizer: você se aceita? Se você mesmo tem dúvidas, ou receios sobre sua sexualidade, primeiro entenda-se, e isso vai tornar o papo com os pais verdadeiro e esclarecedor.
Comigo foi tranquilo porque eu me preparei bem, escolhi as palavras e o momento em que meus pais estavam mais calmos, acredito que isso é importante, eu escolhi falar individualmente com minha mãe e com meu pai, lidar com um de cada vez e do seu jeito, pois cada um age de forma diferente e você deve saber sobre o temperamento dos seus pais, então prepare-se de acordo.

Com minha mãe foi muito simples, as mães tem mais facilidade de ler e entender os filhos e saber pelo que eles passam, e bem clichê, minha mãe já sabia. Mesmo que sua mãe já saiba, ou não, dedique um pouco de atenção sobre o assunto com ela porque elas podem aceitar com mais facilidade, mas entender é outra história. Então sente com ela e converse, pergunte se ela tem alguma dúvida, explique que nada muda, a única coisa que muda é que para ter um neto seu, vai ter que provavelmente adotar. E isso é um dilema para as mães, elas normalmente esperam um netinho da gente.
Sua mãe pode lhe dar conselhos sobre como conversar com seu pai, afinal ela o conhece a mais tempo que você, mas não a envolva na conversa que tiver com ele. E caso fale primeiro com seu pai, a mesma coisa, não o envolva na conversa com sua mãe, eles podem achar que o outro estava guardando segredo, entre outras coisas.

Quanto ao pai, dobre o tempo de atenção que vai dar a ele, pois ele sente isso como uma culpa, indireta e inconscientemente ele se culpa pela homossexualidade nos filhos seja homem ou mulher.
A reação do meu pai não foi das melhores, ele não acreditava que tinha me "criado para isso" e que eu fosse me tornar "mulher dos outros", o que eu tive que explicar muito bem detalhado para ele que ser gay é simplesmente amar pessoas do mesmo sexo e isso não significa que você vai mudar de sexo ou se submeter à qualquer coisa. Demorou um tempo para que ele digerisse a informação, eu fiquei com medo, mas era a coisa certa a se fazer, afinal de contas nossos pais são as únicas pessoas no mundo todo a quem devemos sim explicação, por respeito à vida que nos deram e aos sacrifícios que fizeram pela nossa criação e educação.

Hoje temos muito mais liberdade e informações sobre a homossexualidade, porém à 8 anos atrás, havia muitos mitos que tornavam o preconceito mais medonho, especialmente que gays se vestiam de mulher e saíam por aí transando e transmitindo doenças. E infelizmente algumas pessoas continuam preconceituosas e violentas contra os homossexuais, portanto todo cuidado é importante, mas não devemos ter medo de ser quem realmente somos e amar, quem quer que seja.

Finalmente eu acredito também que por ser gay não precisamos bater com os cílios postiços e de vestido brilhante na cara de ninguém para conseguir respeito, a luta pelos nossos direitos é diária e progressiva, mostrando que somos seres humanos acima de tudo, que amamos, trabalhamos, festejamos e erramos como todos fazem, por isso não adianta querer conseguir as coisas à força, daremos nós também o exemplo de respeito e cidadania que queremos e sabemos, com as conquistas que já aconteceram, que é possível, basta ter paciência e não desistir.
Beijos, abraços e paciência.

Comentários

  1. Adorei o texto (como todos os textos que você escreve). Eu acho muito importante históriaa positivas, principalmente, para aqueles que passarão por esse processo. O meu, de me assumir para outras pessoas foi (e ainda está sendo) há z pouxo tempo. E eu sei muito bem como ler histórias como a sua me ajudaram muitos.
    Agora, eu sempre fico incomodado quando as pessoas (ou até nós mesmos) falamos em assumir nossa "opção", porque a gente sabe que a homossexualidade não é uma opção. E sempre dá uma margem para a má informação dos outros. De qualquer forma, gostei muito!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem observado João, eu mudei para sexualidade.
      Espero mesmo que ajude bastante gente! ;)

      Excluir

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...