Essa simples existência...


As vezes não entendo como um livro, uma vidas descrita em palavras e capítulos, pode mexer tanto com a gente. Principalmente quando é ficção. Afinal de contas, são histórias que alguém inventou.
Acho que esse é o poder do que é inventado, surpreender as pessoas. E por isso é tão importante que a gente seja criativo e, portanto, criadores.

Bem, mas voltando ao assunto, mesmo que essas histórias sejam baseadas em acontecimentos reais, e eu acredito sempre que são de uma forma ou de outra, são tocantes e gostosas demais para mim.
Algumas vezes me identifico demais com os personagens, pessoas que são tão completamente diferentes de mim, estranhas, grosseiras, desleixadas, frescas, fortes, mas que me encantam e fazem com que eu torça por elas. É uma empatia quase momentânea, e a cada página que eu viro, gosto mais, passo a página e me encanto, viro a página e me derreto com aquele ser imaginário, que agora faz parte dos meus amigos íntimos.
Intimidade é pouco, eu sei tudo sobre suas vidas e eles nunca me cobram pela atenção que lhes dou, nem eu preciso pedir para que dividam seus momentos comigo. Muitos, risos, lágrimas, dificuldades, cada passo que dão! É bem rico.

No fim, fica aquele sentimento de completude, eu sei que poderei vê-lo de novo, sei que ele caminha comigo e todas as lições que eu aprendi com ele acompanham minhas decisões para sempre. Mesmo ele nem sabendo quem eu sou.
Acho que por isso na vida real não exijo nada dos meus amigos e companheiros de jornada.
Quem sabe também seja essa a razão da minha empatia imediata com as pessoas que não conheço, consigo me doar inteiramente sem necessariamente abrir nenhuma página do meu livro. Não sem que alguém me peça, não vou jogar meu livro da vida na cara de ninguém, não me faz jus.

Pouca gente se interessa pelo meu livro, acho que muitas vezes é minha capa que não chama tanto a atenção. Isso é bem normal. Não sei dizer como me sinto por isso acontecer.
Só sei que tenho uma história bem interessante para contar.
Pois além da minha capa simples de couro com pequenas letras douradas, há muita luz e sombras e sentimentos sem fim!
Há um personagem de ficção real, vivendo nesse mundo que também é uma história, que é contada e recontada por todos os autores de cada vida e tantas vezes transformada em versos, contos, livros, seja de história ou seja de ficção, todos reais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...

Não morrer jamais...