Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

domingo, 29 de setembro de 2013

Ouvinte...

Uma história bem contada, ou uma mentira deslavada, talvez simplesmente uma daquelas história, um pouco, aumentadas. Não importa tanto assim.
Uma aula bem explicada, pode ser até de química ou física, mas de uma pessoa apaixonada.
A conversa da mesa animada do bar, ou até mesmo daquele palestrante bêbado.

Sabe, uma das minhas paixões é aprender.
E meu caro, devo confessar, que o que realmente me atrai,
é quando alguém começa a falar.
Ouço tudo atentamente, parecendo um curioso sem jeito,
mas estou ali mesmo é me divertindo, aprendendo, sempre à observar.

Aqueles momentos, mesmo que pequenos e curtos, me fazem viajar,
e naquele outro lugar, eu me encontro e me deixo aproveitando
colhendo os frutos de um entusiasmo sem fim.
Fico no deleite de ser um expectador fiel e cuidadoso.

Quando uma pessoa precisa ser ouvida, sei de longe.
Alguns são tímidos, outros são descarados, e ainda há os que não tem freios!
Sinto às vezes, por não terem intimidade comigo e segurarem coisas ainda pra si.
Deixa sair, fala, desabafe e principalmente descarregue o coração.
Chorar ajuda, viu?

O real valor de um ouvinte, é que ele não precisa de nada.
Está ali, de coração aberto e mente preparada.
Aquele ombro amigo, nunca mais será o mesmo quando encontrar um ouvidor!
Uma pessoa que não quer nada além de te ajudar.

Já se deixou ouvir hoje?

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Dormiria...

Quando passo tempo demais sentado te olhando, é como se o mundo ficasse em segundo plano, embaçado pelo seu jeito de olhar atentamente cada coisa, e o sorriso que vaza desapercebido no canto da boca quando ouve o som dos pássaros na manhã de primavera.

Se percebe que há um animal perdido, se perde completamente do momento e o ajuda, oferece o que tem de melhor, seu carinho.
O cachorro abana o rabo e ele coloca nas mãos um pouco de água e um biscoito.
Impressionado, fica tristonho quando o pobrezinho rouba o biscoito e some na primeira esquina.
- Ah, esses pequeninhos não tem jeito! - Sorri tranquilo.

E quando eu me pego de volta na realidade, aqueles olhos fixos nos meus, curiosos, tentando assistir na retina o que se passa na minha memória.
Mostro a língua sem jeito, e ele me morde de leve no pescoço.
Pra quê fazer isso? Por quê me provoca essa hora?

Corre pra fazer o café, estamos atrasados de novo.
Corro pra fazer das torradas nosso desjejum, hoje como coelhos.
Amanhã, o café é por minha conta e sei que o pão será de nuvens.
Nuvens recheadas de requeijão com um pouco de sonho dentro.

Saindo pro curso, me diz tchau num beijo demorado que podia demorar ainda mais.
Saiu sem olhar para trás. Determinado e determinante que é.
Na rua lá embaixo, encontrou 0,10 centavos e saiu cantarolando.
E eu poderia sonhar que era só isso que eu gostava nele.

Mas nem se caísse na cama de novo, com a vontade que me cabia, sonharia tão bonito como aquela criança era no dia a dia.
Os deuses não me deixariam dormir e perder essa pequena amostra de que são tão misteriosos quanto podem na criação de tudo que nos cerca, e no prêmio que nos concedem de vez em quando.

Quanto tempo, quanto tempo mais poderia aproveitar?
Quanto mais queria, ele mais estava lá.
E depois de tanto tempo sem me dar conta, ele estava de novo me olhando.
E eu sorrindo tímido, para não me envergonhar.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Descontrole Socioeconômico Cultural...

Bom dia a você que está, assim como eu, na frente do seu computador gastando energia e recursos naturais de forma natural.
Boa tarde pra você de outros países que faz a mesma coisa.
Boa noite países desenvolvidos, que vão ficar sem essa mensagem logo logo.

Quero fazer uma pergunta a todos vocês:
Imagine que os alimentos acabem e que a água esteja poluída.
Você prefere comer roupas, terra ou metal? E para acompanhar, água ácida, plasma ou gordura?
Bem, estou sendo muito radical, não é?

Espero que assistam esse vídeo.
Quando eu o encontrei, TedX Amazonia que foi publicado em 01/2011, tinha menos de 15.000 visualizações.
Enquanto isso, o clipe oficial de Anitta e seu "Show das Poderosas", publicado em 04/2013 tem 57.500.000 visualizações.
Vou usar um outro exemplo:
Um vídeo da Elis Regina "Como Nossos Pais" postado em 12/2007 tem 4.400.000 visualizações.


O povo está alienado, estão confundindo tempo livre e lazer com libertinagem e esquecendo que somos nós quem criamos o nosso planeta, nossas condições de vida e existência, e reclamamos que o outro não o faz por nós.
Quanto tempo mais vamos ficar parados, esperando tudo ficar pior e pior para podermos entender que CADA UM e TODOS nós somos responsáveis pela cidade que vivemos, pela comunidade, pela sociedade e suas decisões à nível global?

Assista novamente o vídeo, reflita sobre seu conteúdo e por favor, compartilhe.
Compartilhe não só o vídeo, pois ele pode sair do ar, mas compartilhe a ideia, faça um debate com seus amigos, faça uma reunião com sua família, comece a envolver e desenvolver seus círculos de amizade em cultura e entenda que todos somos um! Separados, não somos ninguém.

Achei essas frases interessantes no site Tribuna de Imprensa:

1 – Do paleontologista  Stephen Jay Gould: “É melhor assinar os papéis, enquanto o planeta está querendo fazer acordo”.

2 – De Carl Sagan, astrônomo: “O Universo não é obrigado a estar em perfeita harmonia com a ambição humana”.

3 – Do Time Magazine: “Em um país subdesenvolvido, não beba água. Em país desenvolvido, não respire ar”.

4 – Edward O. Wilson, professor de Entomologia de Harvard: “Se toda a humanidade desaparecesse, o mundo voltaria ao rico estado de equilíbrio que existia há 10 mil anos. Se os insetos desaparecessem, o ambiente iria do colapso ao caos”.

5 – De John Young, ex-astronauta: “Se você quiser ver uma espécie em perigo, levante-se e olhe no espelho”.

6 – Hans Christian Andersen, ele mesmo, o famoso escritor: “Somente viver não é o suficiente. É preciso ter raios de sol, liberdade e um pouco de flores”.

7 – Herman Daly, ecologista: “Há algo fundamentalmente errado em tratar a Terra como se fosse um negócio em liquidação”.

8 – Einstein: “Sobreviver irá exigir da raça humana uma maneira substancialmente nova de pensar”.

9 –Elwyn Brooks White, escritor e poeta: “Eu me sentiria mais otimista sobre um futuro brilhante para o homem, se ele gastasse menos tempo provando que pode levar a melhor sobre a natureza, e mais tempo saboreando a doçura e respeitando sua maturidade”.

Hedna...



Quando Hedna nasceu, era pequena demais para sua vizinhança e não podia entrar em nenhum evento social.
Seus pais a abandonaram na árvore de bétulas e deixaram-na sozinha.
Uma noite fria, uma pequena joaninha, maior que a pobrezinha, convidou Hedna para uma festa de galãs da mata boreal, tinha apenas que despir-se e entrar na roda com seu grito de guerra.

E qual seria um grito de guerra apropriado? Ora, era pequena demais para que lhe ouvissem, nunca havia falado, qualquer um seria extremamente bem gritado.
Chegando na festa, se fez presente na roda e com os outros pretendentes, gritou.

A selva parou.

Por 5 segundos, e todo o mundo ouviu:
FELINAAAAAAAAAAAAAAA!
Pequenina aquela que não tinha sensibilidade na fala.
E de pequeninha passou a ferina!

Voou!
Cresceu e tornou-se Hedna a Ferina!
Gritou e não se contentou:
VOCIFEROU!
E de todas as coisas que se arrependia, findou.
Tudo o que queria criou.

O seu mundo era agora uma massa moldável.
Sem arrependimentos ou pensamentos dúbios, deixou-se levar e imaginou o tudo.
Num pequeno grito, o que queria estava escrito!
Dito e repetido, tendo em mente tudo que tinha tido.
Assim se fez, e assim fez-se Hedna.

Sem fim, trotando por aí e criou-se como quis.
Pensando no conserto, do que mais queria feito.
Feitiço de uma gigante e suas artimanhosas feições.
Retirado o véu, não fica questões que se igualem àquela senhorinha.
Só a joaninha, que não se deixou levar pela mesquinharia.

5 segundos depois, agradecimentos feitos.
A joaninha tomou seu rumo, Hedna o outro, juntas.
Ficou assim e se não fosse desse jeito, Hedna teria sido feroz.
Gritaria de dor, de ódio, de sangue.
E o fim seria assim.


terça-feira, 24 de setembro de 2013

Folhas...

Princesas de todo tempo, as folhas que se pintam de várias cores, estão aí para nos mostrar a passibilidade das estações.
Eis que somos também folhas, pintadas das cores que escolhemos e seguimos com o vento, ou contra ele, para onde queremos. Passando e deixando nosso perfume preferido no caminho.


Somos folhas em branco, não importa nossa cor, ou o quanto estamos já passados do verde novo. E nos alimentando de outras cores, coisas, animais e pessoas que passam por nossa corrente de ar, fazendo a gente voar para o mar, para o barro, para o prédio fechado e abafado, onde folhas são cinzentas e quebradiças.

Escolha uma parte da sua folha em branco, e sem pensar muito, escreva o que pintar na sua mente.
É uma parte que você gosta? É uma palavra que você gosta? É uma palavra em imagem?
Você é quem escreve na sua folha, você é quem dita a história e as cores que te preenchem.


Não são todas as folhas que vão seguir seu exemplo, nem se alegrar com suas alegrias ou dividir o mesmo gosto pela cor escolhida, algumas contentam-se muito mais com o que te deixa triste, e o fazem com frequência!, mas não te acanhes!, continue a voar e pintar e deixe seu sabor com um querer mais de vez em quando.

Se sua folha está amassada, não ligue, ela ainda pode receber o ar fresco que tanto fez volar e cantar, e hoje ele acaricia sua pele e traz consigo todas as lembranças daquelas viagens e dos perfumes que encantaram sua paisagem. Lembranças de quando... AH! Lembra-se de quando...? E então aquele dia...? Nunca esqueci aquele... ta lembrada?

Devagar, a cor vai mudando. E o tempo que passou se acaba.
Passamos a fazer parte das bases, dos corpos, das novas folhas que nascem, branquíssimas de tão verdes, chorosas e preparadas para mais uma vez volar e cantar e perfumar pelas estradas de vento, pelos caminhos onde não passamos e quem sabe, completar o quadro que não tivemos tempo de terminar.

domingo, 22 de setembro de 2013

É fácil...

Na minha casa, algumas coisas são impossíveis de ser ditas.
Fico estressado com o tanto de vezes que ouço no dia-a-dia que as coisas são difíceis, ou que é impossível, ou pessoas reclamando que não conseguem fazer algo.

Minha vida não é de enfeite, sabe? Eu me deixo levar, e uso toda a mobília, as roupas e as porcelanas bonitas, Todos os dias!
Eu me permito ser especial, ser feliz, ser do jeito que Gosto de ser, o esperado é verdade nessa minha realidade.
Me permito! Me deixo ser o que tem que Ser! e resolvemos as situações, que no mínimo, acabam sendo prazerosas por inteiro.

Ah, claro que me quebro, e me quebro também nas melhores partes, sabem que até já perdi um dente...
A nossa casa é velha, e nosso coração bate por ela do mesmo jeito, nossos momentos são inteiros, mesmo que algo se parta em dois, ou mais pedaços!
E sabemos também que tudo que se parte, conserta-se. E fica lindo!

Tem coisas que não tem preço, mas os momentos são Valorosos demais para que gostemos mais dos preços. E que coisa chata, guardar o melhor pro final, ou para ocasiões em que tem que se receber gente chata em casa pra impressionar e não falarem mal de ti.
Dane-se!
Eu sou especial, e mereço o melhor do Melhor Hoje!

Valores esses que não se pagam em preços e sim em lembranças e memórias de tempos excelentes.
Como é bom.
Bom é valorizar a vida, apaixonar-se por cada minuto dela e não deixar nada passar por esperar algo melhor.
O melhor, e ele é safadinho, é Agora!

Não se deixe ser presente caro, seja um especial presente!
Não se deixe!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

A última carta...

Vamos nessa!

Eu não sei se vou ter tempo de escrever mais cartas, porque posso estar muito ocupado tentando participar.
Então se essa acabar sendo a última carta, só quero que saiba que eu estava mal quando comecei o ensino médio, e você me ajudou.
Mesmo se você não soubesse sobre o que eu estava falando, ou conhecesse alguém que tivesse passado por isso, você me fez companhia.
Porque eu sei que existem pessoas que dizem que essas coisas não acontecem e que ha pessoas que esquecem como é ter 16 anos e fazer 17.
Eu sei que tudo isso serão só histórias um dia, e nossos retratos se tornarão fotos antigas, e vamos ser mães e pais.
Mas agora, esse momento não é uma história, isso está acontecendo.
Eu estou aqui, e estou olhando pra ela, e ela é tão linda.

Eu posso ver, esse momento único quando você sabe que a vida não é uma história triste. Você está vivo. E você se levanta e vê as luzes nos prédios e tudo que te deixa maravilhado.
E você escuta aquela música naquele carro, com as pessoas que você mais ama nesse mundo.
E nesse momento, eu juro...
NÓS SOMOS INFINITOS!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Cai a noite...

...Sozinho na Lua...

Sentado na beira de uma das crateras pequenas onde costumo lanchar, relaxando e olhando pra Terra. Ela é maior que a Lua, mas é menor que eu nesse momento. É uma visão esplendorosa de como podemos ser pequenos, ou grandes, depende só da perspectiva. E Einstein já sabia disso muito bem, com certeza ele também vinha muito pra Lua pra pensar, ou até mesmo ia pra outros planetas.

É estranho saber que, assim como eu, outras pessoas conhecem os outros planetas, conhecem outras formas de vida e ficamos calados, sentados observando a humanidade que vive tranquila, olhando pra tevê e se sentindo o máximo por ser assim tão desenvolvido e bem de vida. Eu não consigo entender qual é a dificuldade em sair do seu estado de inercia mental para buscar um pouco mais a cada dia.

- Prova-me que preciso.
- Eu não posso provar nada, você tem que viver e ver por si só.
- Então meu jovem, estou vivendo mais que você.

E assim ficamos os dois vivendo cada um no seu mundo, porém ele divide o dele comigo, enquanto eu gostaria muito de apresentá-lo ao meu. Nem todo mundo quer conhecer o que o outro tem a mostrar. Quase ninguém quer entender. E eu não posso impor nada.
Não gosto de ser obrigado, não sou obrigado, por isso respeito muito mais.

A vida é uma espera.
Uma curta espera. Às vezes precisamos dar um empurrãozinho, plantar uma semente que também devemos esperar se desenvolver, crescer e fortalecer para colher os frutos.
A Natureza nos ensina bem todos os dias.
Nada acontece da noite pro dia, e quando amadurecer, vamos voltar ao trabalho.

...Bom dia, Terra...


segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Abelha, falta satisfação ou vontade?

A satisfação da sua vontade.
A vontade de satisfazer.
A vontade de se satisfazer.
Quem se satisfaz de vontade.
Ou a vontade de ser satisfeito.
Uma satisfação de vontade.

Quanta coisa podemos fazer se tivermos vontade?
A vontade meu caro! Vai lá e satisfaça-se!
E quando estiver pronto, desfaça-se.
Sabe que sua vida é curta se tem que usar de violência ou pressão.

Não corre não... eres tão doce!
Deixe de amargura e guarde esse ferrão.
E siga direto pra'quela flor amarela ali.
Colhe o que te faz feliz e prepare logo o meu mel-de-lys!

Que falta de vontade é essa?
Atrapalhando toda a satisfação da sua lida,
e prejudicando minha salada de ser vida.
Sai do copo de refrigerante, que ainda te mata.
Não sabia que nesse negócio tem praga?


Abelhinha, se fosse minha essa vontade de fazer mel,
te diria que falta pouco ainda pra completar a colmeia,
dessa nobre satisfação de ser útil e preparada.

Quando sair de manhã atrás da flor amada,
me prepara um pouco do néctar mais fino,
esse eu vou levar pro meu menino.
Ele espera sua vontade sagaz de ser eficiente,
e sua nobre felicidade em servir-nos de seus beijos,
de sua sagrada empreitada pela calda da minha torrada.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Nossos pequenos dedinhos...

Já percebeu que não confiamos nos dedos dos nossos pés?
Os dedos das nossas mãos são nossa esperança de um futuro melhor, mas os dedos dos pés, não nos ajudam muito, não é?
Hoje tive uma experiência ainda mais viva com os meus pés. Não!
Não com os pés, mas com os dedos dos meus pés. Todos eles.

Percebi viva e particularmente, como não confiamos neles.
É incrível, mas não foi só eu que demonstrei isso, num grande grupo de pessoas.
Cara, motivo para que eu viesse aqui e dissertasse sobre eles, acredite em mim, isso é Muito Sério! Você tem que prestar mais atenção no seu corpo, e principalmente no equilíbrio que ele tem à sua disposição, basta que você entenda-se com ele. Desde os dedos dos pés, até a cabeça.

Nossas raízes são os pés, e nosso meio de locomoção. Usamos os dedos dos pés quando algo cai no chão e temos preguiça de abaixar pra pegar. Cara, eles são seu EQUILÍBRIO!
Confiamos nos pés, mas não damos nem um centavo pros dedos.
Ai se não fossem eles... que seria de nós?

Atores e bailarinos, sabem da sua importância, da sua parte no nosso corpo e da necessidade que temos neles. O quanto os coitados sofre num "pas-de-deux" na meia ponta, eles que seguram a onda.
E vejo muitas pessoas os tratando com desdém...

Passe a dar mais valor aos seus dedinhos, não só quando você bate eles na quina da cama!
Eles são importantes e merecem todo o seu respeito!
Se apoie neles, você vai saber do que estou falando...


Um post mais descontraído, mas peço de verdade que façam a experiência de prestar atenção neles! `^^´

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Como você consegue ser humano?

Mural - Jackson Pollock - 1943
Ah ser humano. Mil perguntas e milhões de suposições em uma só existência. E meus longos anos contigo não foram ainda suficientes para entender a razão pela qual comete crimes e indiferença consigo.

Principalmente quando não lhe custa nada para ser bom e prefere pagar o preço de não ser.
Quando não se permite seguir por um caminho simples, optando pela confusão e pela desordem de onde encontra somente razões para culpar-Nos de seus erros.
Não precisa de nada, mas faz de conta que o mundo lhe quer mal.
Põe no irmão, no pai e na mãe, no outro, a culpa que não existe nem mesmo nas suas próprias costas.
Segrega seus afazeres e recolhe suas lástimas, praticamente deixando-as guardadas num colchão, como faziam seus avós com a poupança da família.

O que ainda me assombra é a capacidade que tens de prejudicar aos outros por prazer.
Rir-se dos desastres que causam dor aos que te cercam.
Ser o causador de dor noutrem por simples incapacidade de lhe prestar auxílio.
Ainda me confunde, como é capaz de fazer algo sem qualidade? Nada hoje presta e você acha que está bom.

Me preenche com desgosto por saber que é capaz de construir eternidades e mesmo assim escolhe a efemeridade de causar problemas aos outros. A quantidade é que importa, quando não sabe contar o quanto precisa nem o quanto deseja.
Quem de vós sabe me dizer sem piscar o desejo de sua alma?
Quem de vós consegue dar um objetivo para o seu destino?

Ah ser humano.
Qual é sua explicação para ser tão tolo?
Qual é sua inteligência divina quando precisa de desculpas e palavras caras para dar-se cabo de ser errado?
Qual é sua alma dentro deste corpo apodrecendo que pode me dar alguma esperança de que um dia vá deixar de ser um ser não humano?

Qual é a sua desculpa agora?

domingo, 8 de setembro de 2013

Poder...

Nascemos com um poder inimaginável, e portanto, inutilizável.
O Poder é tudo que temos, podemos tudo, só não sabemos como, já que poder é um substantivo complexo e com muitos significados, mas também é um verbo e todo verbo é uma força, uma ação.

O Poder nasce junto da criança e é totalmente arrancado, então tenta-se devolver-lhe aos poucos, moldando de acordo com o que se acredita ser melhor para a criança em desenvolvimento de suas capacidades físicas, mentais e espirituais.
O controle desse poder que se tem sobre as crianças é supremo, mas não é total. Eu sou um exemplo de que ele pode e deve falhar.

O Poder nunca foi o responsável pela corrupção de nenhum ser vivo. Mas a possibilidade de poder fazê-lo sim. E entenda existe uma grande diferença entre Poder e Fazer. Todos Podem! Poucos fazem...

Infelizmente os que Fazem, tem o domínio do poder alheio.
"Eu controlo o seu Poder com o meu, se eu não posso, ou não quero que você possa, então assim será."
Caso este das leis, dos nossos governantes, dos nossos professores, dos nossos pais. O nosso Poder está dentro do deles. E se tentamos expandi-lo, somos repreendidos e silenciados imediatamente.
É simples entender como funciona a represália de quem não quer interferências no Poder.
Isso é levado para a vida toda.

"Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser pôr à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." ~ Abraham Lincoln.

Esta frase é tão completa e tão poderosa por si só.
Especialmente porque o Poder que se pode dar a um homem é o que ele já possui. Conhecerá realmente o seu caráter, suas possibilidades e seu desenvolvimento até aquele momento. Muitos irão decepcioná-lo.
Quem está preparado já sabe que tem Poder, não é necessário que outra pessoa lhe deposite poder algum.

Porém, a humanidade tende a achar o Poder uma carga pesada à carregar, e entregam seu poder aos outros. Desfazendo-se do Poder que lhe é garantia e herança de tantas vidas, e fazendo dele o parque de diversões de pessoas que não são humanas, nem que pensam em fazer desse poderio algo pelos quais lhe deram esse presente.

Impedir as pessoas de desenvolverem e encontrarem seu verdadeiro Poder é o maior poder dos controladores e ditadores. Assim sendo, por você e pelos que lhe são queridos, encontre seu Poder, e não o entregue à ninguém. Ele é seu e único.
Assim, quando cada um conhecer seu Poder, e utilizá-lo ao invés de jogar fora, seremos finalmente livres.

sábado, 7 de setembro de 2013

Curta - Dama de Gelo...

Uma história para derreter os corações.
Eu achei muito bem feito, o som está abafado, mas a história é bem contada.
Como eu adoro Água e Gelo, então ele me é especial.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Encontros propostos...

Havia numa cidade duas pessoas únicas.
Phill e Derk.
Durante todo o dia, Derk falava. Por horas a fio.
Falava de tudo que sabia, e sabia um pouco de tudo! Quase nada de nada.
Phill, paciente, esperava e olhava o mundo de coisas que se podia saber, sem ao menos conhecer, sem saber de sua existência, sem ver e até mesmo sem querer.
Eles se davam muito bem, os opostos do que queriam, do que precisavam e do que eram.

Um nunca brigava com o outro. Derk sempre dizia tudo que Phill precisava mudar, melhorar, buscar, querer, dizer, fazer, cuidar, caminhar, etc...
Phill fazia seu trabalho, estudava, criava e concertava, ouvia tudo tranquilo e sem comentar nada. Era confiante do que conhecia, pouca coisa, mas muito bem.


Num certo dia, ouviu-se de longe um som esganiçado e sem definição.
Que era isso? Quem seria?
Nossa cidade era tão calma e feliz. Agora estava completamente tomada por pavor!
Um não sabia o que fazer, o outro não sabia o que dizer.
Qual foi a surpresa quando aos poucos chegam dois outros cavalheiros.

Phill curioso, Derk fazendo perguntas.
Que faziam ali, nem eram de perto. Qual o papel deles nesse canto do mundo?
Hank olhou para Phill e sorriu.
Depois disso, Maye e Derk conversaram tanto, eles entre si e sobre tudo.
Todos continuaram a trocar aquele leve olhar de boa surpresa.

E nesse momento eu entendi que não havia nada que não pudesse se encontrar, tanto com seu oposto como com seu semelhante.
Soube também que não há nada de errado em ser diferente. É bom também ser igual.
Um deles era perfeito pro outro. O outro não o deixava na mão.
Tanto! Que se completavam...

Aquela história estava no meu olhar quando te vi.
Esse olhar que me disse, sou como você, sou o que você precisa.
Respondendo: eu sei, to bem aqui, não estou?

E dos olhares, aqueles que eram únicos...
Encontraram-se.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Uma atitude por Setembro...

Estamos chegando num meio termo, sem tempo para ser indeciso.
Esperamos demais, falamos demais, mas agora o relógio grita de hora em hora que não podemos mais deixar escapar os pensamentos do corpo.
O mês 09 chega cheio de finalizações. O que não está decidido se findará!
- Corre atrás!! - Ele grita no seu ouvido - Se não fizer agora, acaba assim e volta depois mais forte!

E começou com desastres, com tristezas, com uma pequena amostra do seu grande poder de acabar com a enrolação.
Teve até proclamação sobre aliens, Russia pressionando EUA. Você acha que é pouco?
Espera... vai empurrando com a barriga...

Esse é o mês dos incansáveis e dos incontroláveis.
Não podemos parar, não dá pra parar agora.
Então pegue um dia pra você, descanse, sem pensar muito, sem fazer muita coisa, e descanse.
No outro dia, mude a rotina, descubra o que estava guardado a tempos e limpe toda a poeira, resolva os problemas de agora que você finge não ver.

É hora de colocar em prática TUDO que você quer que realmente comece e termine.
É hora de fazer seus projetos dos sonhos virarem realidade.
A energia do mês te pede para que levante-se e corra! Corra atrás!!

Basta querer, basta começar...
O mês vai te ajudar a terminar.
O novo ciclo que vai se iniciar daqui algum tempo, precisa de preparação e este é o mês para isso.

Se não fizer, fica pra trás...
E vai ser atropelado!
Saia da zona de conforto com seus esforços!
Ou vai ser tirado à força.

Deem as boas vindas ao Bom Fim!