Eu choro...

Eu choro, e como eu choro.
Eu estou chorando, escrevendo e chorando.
E quando eu choro eu não me sinto fraco,
não estou bem, nem sei o que se passa.
Eu só choro.
E como eu choro.

Uma lágrima não basta.
Eu choro, eu me entrego,
e tudo me devora.
Dói, espreme, sangra.
E a lágrima vem.

Depois vem outra lágrima.
E uma grande passeata começa,
vindo dos dois lados,
direita e esquerda e se juntam e se inundam.

E se entregam de novo
e eu me entrego mais ainda.
Depois de chorar mais eu deixo.
E choro de novo, pra ter certeza,
a única certeza,
de que quando eu choro é de verdade.

E quando eu choro,
ah como eu choro,
sem me preocupar com nada.
E de nada pra nada eu sei,
no fundo do meu coração,
que quando eu me entrego e choro
eu sei e eu sinto e eu vivo...

Comentários

  1. O choro é um êxtase, é o sentimento que está acima das palavras e de quaisquer definições. Chorar é uma benção, nos liberta e alivia. Eu choro, você chora, e é isto que lava o mundo das mágoas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...