Olhos azuis e branco e prata...

Como é que pode aquele toco de gente, de olhos azuis cor da água mais limpa e clara, gostar desse modo de pensar?
Cá me questiono, se fosse como meus pensamentos risonhos, os olhos azuis seriam cercados de branco até os dentes tocarem as orelhas. E assim seria, até os cabelos se juntarem ao quadro em tons prateados.

- Mas se não fosse? - perguntou meu afilhado.

Ora rapaz, se não fosse teria ao menos tentado, atentado como era, nem que fosse a mazela de um sorriso extrairia, sem pensar muito.

- Sonhe que lhe apetece, te acontece um dia, vice?

Vixe, que aconteci foi por demais. Naqueles dias novinhos em que a praça 1º de Julho ajudei inaugurar. Quanta vida, quanto acontecimento.
Sem esperar veio o tempo.
A prata já me deixou a cabeça, mas na memória tenho algo valioso como ouro.
Vivi, tenho saudade, mas ainda sei que tudo passa. E se revolta.
Amei por toda a Terra. E toda a Terra.
E toda Vera, todas que tinham os olhos azuis como água limpa como Clara...


Comentários

  1. Quanta beleza. Havia um tempo que não visitava teu blog, não poderia ter escolhido momento mais propício para voltar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...