Divindade humana - Louco

A liberdade total é a loucura.
Que paradoxo interessante, não é mesmo?
Louco é um deus entre os humanos, pois ele entende quem realmente é.
Se há um único no mundo é muito, por isso sozinho é incompreendido; e o Louco acaba maluco.

Mas há o Louco que aprende a viver só, o caminho sozinho é necessário, quiçá uma prova, e então eleva-se para junto dos que como ele, não tiveram medo de viver sem máscaras.
A loucura nada mais é que olhar-se no espelho e não se ver, mas reconhecer-se.
Amar-se imensamente e descobrir que é tudo tão simples, tão bela é a trama da vida, tão...

E quebra-se o véu da ilusão em que vivemos todos.
Todas as barreiras são desfeitas e aquele efêmero humano pode ver com clareza os caminhos e tramas que os deuses arquitetaram com tanto zelo para nos levar àquele estado de consciência.

LI-BER-DA-DE!

Sai pela rua, feliz da vida, cumprimentando o cachorro, o vizinho e o poste de energia, não importa quem ou o que, ele entende que cada qual está exatamente onde deve estar.
É tudo lindo!

E, depois de um tempo, Ele nunca mais é visto...


"Quero a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na sua loucura, acabará sábio."
- Raul Seixas

Comentários

  1. Porque o louco então, não se mata e some?
    Acha tão bom não se encaixar em nada...
    Mas não... gosta mesmo é de encher o saco dos outros com suas loucuras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Louco não faz loucura, ele age naturalmente.
      Quem faz loucura é quem vive pela cabeça dos outros...
      Que parece ser o seu caso, então, reveja seus conceitos! `^^´

      Abraços!

      Excluir

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!

Postagens mais visitadas deste blog

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...

Não morrer jamais...