Sagrada refeição japonesa.

Muito se fala sobre como os japoneses tem hábitos alimentares saudáveis e uma culinária rica. A cultura oriental influencia e é exigente até mesmo na hora das refeições.
Conheça um pouco sobre os costumes da alimentação japonesa e os benefícios que trazem a saúde. 

Antes de mais nada, o japonês respeita muito a hora de comer e, sabiamente, considera a refeição sagrada. Portanto agradece pela refeição antes e depois de comer. Antes de começar a se alimentar ele diz "Itadakimasu" (いただきます) que significa 'eu humildemente recebo [a refeição]'. E quando termina agradece dizendo "Gotisousama-deshita" (ごちそうさまでした) 'Obrigado pela boa refeição'.

É comprovado que os japoneses tem saúde de ferro e menos problemas com obesidade pela qualidade dos alimentos que ingerem, mas por fazer as refeições em tigelas ou "owan" (お椀) que são levadas à boca, auxiliando na postura na hora de comer e o fato de não curvarem o corpo durante a refeição, permite melhor deglutição e digestão já que a comida desce confortavelmente pelo esôfago e chega com naturalidade ao estômago que, quando a postura é correta, consegue funcionar melhor. O alimento é melhor aproveitado, ele satisfaz sem pesar no organismo e comemos em menor quantidade.

Outro costume é o de comer usando os hashis ou ohashis (お箸), os "pausinhos", que é diferente de comer com garfo ou colher. Os hashis exigem que se leve porções pequenas à boca, pode-se tomar mais tempo para comer, mas saboreia-se mais a comida e torna a digestão mais fácil, pois o estomago tem mais tempo para agir. Encher a boca de comida pode ser algo aprazível, mas é também indigesto na maioria dos casos. Com os hashis é praticamente impossível encher a boca de comida; corre-se menos risco de engasgar e a deglutição fica mais fácil. Como no caso anterior, com os hashis aproveita-se melhor o alimento e come-se menos.

Os japoneses costumam terminar suas refeições tomando chá, o mais comum sendo o "bancha" (番茶) conhecido como chá verde no Brasil, ao invés de sucos ou refrigerantes. Beber chá ao final de uma refeição — em vez de, por exemplo, beber refrigerante gelado durante — garante o calor necessário ao bom funcionamento do aparelho digestivo. Assim como um urso sob o frio hiberna, o aparelho digestivo reage de forma similar quando submetido às baixas temperaturas da maioria das bebidas que acompanham as refeições; o conflito térmico entre a comida e a bebida prejudica a apreciação de ambas. Além disso, baixas temperaturas solidificam as gorduras. O chá, por ser quente, garante que as gorduras permanecerão em estado líquido e desta forma o organismo dificilmente as reterá. O que torna o bancha “emagrecedor” é menos suas propriedades químicas do que as atitudes necessárias para consumi-lo — momento, temperatura e lentidão.

Nos três casos — fundamentais para entender a boa saúde e a porque não se encontra muitos japoneses com problemas de obesidade — o que importa não é somente o que se come, mas como se come. Isto sugere que você não é o que você come, como muitos gostam de pensar, mas o que você faz, os seus hábitos e sua postura (física e espiritual) ao realizar todas as ações do seu dia-a-dia.
Por causa do owan, dos hashis e do bancha os japoneses mantêm saúde e bem estar, aproveitando suas sagradas refeições plenamente.

Retirei este texto do blog Christian Rocha e adaptei para falar sobre a alimentação e cultura.

Comentários

  1. fala sério, voce já viu japones comendo?????

    ResponderExcluir
  2. eu já e é bem assim mesmo. em casa a diferença é que só usamos hashi e owan pra comidas japonesas e eu só agradeço pela comida qndo saio da mesa.

    ResponderExcluir
  3. eu não sou japones, uso e me dou muito bem com hashi e owan

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comente. Há um mar de pensamentos e você pode pescar um peixe que ninguém mais conhece. Assim são as palavras no mar do Umikizu!

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...