Uma batalha sem problemas...


"Uma menina era mantida em cativeiro pelo seu namorado, um rapaz que tinha muitos ciúmes e que tem muitos problemas com ele mesmo... Como a menina é pura, e lhe tirava sempre de seus problemas, ele tinha muito medo de perder seu porto seguro, não por amá-la, mas porque ela o salvava, mesmo que isso significasse que ela ficaria mal...
Para conseguir isso, ele usou de má fé e colocou para ela um vigia que a afastaria de tudo que pudesse levá-la dos seus domínios.
Este vigia era bastante obediente ao seu senhor, e fazia quem quer que tentasse abrir os olhos da menina, tão pura e inocente, que se afastasse e para isso usava de artifícios muito poderosos: lábia afiadíssima, pressão psicológica, usando a própria menina como seu instrumento... Quando mesmo assim ele não conseguia afastar a pessoa, era bastante violento e trevoso!

Quando a menina conheceu o pequeno Príncipe, ele logo percebeu que ela estava presa em uma gaiola, que era usada e que sua força era arrancada. Tentou avisá-la de que isso estava acontecendo e neste momento o vigia apareceu e usou de seus artifícios para detê-lo.
Este vigia fez com que o pequeno Príncipe ficasse muito confuso e perdido por um tempo...

Triste por estar confuso e sabendo sobre os intentos do vigia, o pequeno Príncipe lutou bravamente contra sua influência e conseguiu sair do seu controle, preparado para não cair novamente. Estava convicto de que isso não poderia ficar assim, pois o que o vigia fez com ele é errado.
E então ele esperou, esperou o melhor momento para que acertasse as contas com o vigia. Queria somente mostrar-lhe o que havia aprendido em sua vida, que tudo se consegue de maneira limpa e verdadeira, nunca se aproveitando da fraqueza de alguém.

Em uma noite quieta e bonita, de um céu nublado, o que lhe dá força, ele foi ao encontro da menina e no caminho encontrou novamente seu vigia. O pequeno Príncipe, realmente pequeno e ingênuo, uma criança, em frente à uma sombra, enorme e intimidadora, mas ao encontrá-lo disse:
- Olá senhor, tudo bem?
O vigia olhou para o menino com admiração, olhou-o por um longo tempo sem dizer nada e então confuso com o olhar do pequenino, respondeu:
- Que veio fazer aqui, moleque?
E o pequeno disse com calma e com um grande sorriso:
- Vim aqui para vê-lo! `^^´
- Ver-me? Eu não estou aqui para ser visto, queira retirar-se moleque!
O pequeno Príncipe não se intimidou, olhou o vigia com um olhar generoso e com um sorriso ainda mais aberto retrucou:
- Não, meu senhor... VOCÊ quem deve se retirar!
O vigia ficou muito nervoso e quando ele vinha para matar o pequenino, ele não era mais um pequenino e indefeso Príncipezinho, agora, ele era um Grande Príncipe mais alto que o vigia, imponente e brilhante como o amanhecer! E disse com vigor:
- Eu não vim aqui para ver-te, vim para libertar uma prisioneira! Vim para mostrar-lhe a luz e diminuir a treva. Vim como um humilde e generoso recomeço, venho com o coração livre e a mente aberta!
Enquanto o Grande Príncipe falava, o vigia ia diminuindo, cada palavra fazia com que ele ficasse menor e que seu poder diminuísse, cada vez mais fraco e assustado que ficava...
- Eu venho para libertar essa menina pura, mas também venho libertá-lo de sua carga, vigia, venho dar-lhe uma segunda chance! Vá agora e renasça como o sol que nasce da escuridão da noite!
Ao final de suas palavras, o vigia que cada vez mais empequenavasse, desapareceu!

O Grande Príncipe conseguiu libertar os dois prisioneiros e foi logo ver como estava a menina: Ela dormia tranquila e profundamente, e já voltava a brilhar..."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ensaios Umikizu - um sonho em forma de livro no Catarse!

O misterioso Escorpião!

Arte: Fine Art de Vladimir Kush...