Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Uma história no passado...

Quero te contar a história de quando eu era jovem e como era o mundo até então.

  Para começar, todos adoravam dizer que faziam o que não gostavam, que queriam mudar de vida e mudar o sistema, mas não mudavam de atitude, não faziam diferente e não faziam a diferença, principalmente.
  A indiferença, a ganância e o desrespeito eram as religiões mais cultuadas na época, e justificavam suas ações como sendo baseadas na proteção da moral da sociedade e para trazer paz ao mundo.
  A política era um vírus que usavam para governar cidades, estados e países, que elegia numa grande festa um vírus para cada forma possível de controlar a liberdade, eles criaram barreiras e empecilhos para o progresso e o desenvolvimento de educação de qualidade, programas que garantiam as necessidades básicas de sobrevivência da população, de incentivo a cultura, literatura e preservação do meio ambiente.
  Os deuses foram completamente esquecidos e substituídos pelo dinheiro, moeda de troca da época. Seu domínio foi total e houve guerras, roubos e mortes por sua posse.
  O trabalho foi trocado pelo emprego, que fazia escravos por onde passava, todos o odiavam, mas tinham medo de ir contra ele, pois sem o emprego, não teriam como se encontrarem com o "deus" dinheiro no final do mês (única vez em que deus realmente estava com seus fiéis).

  A educação era tratada com desdém e, foi exatamente nas escolas que a política atacou com mais força para destruir as defesas da sociedade, pois era na educação que se formavam os anticorpos contra seus vírus. Sem educação, eles poderiam agir livremente.
A morte da educação se deu em 2 atos:
  - os alunos não precisavam estudar para avançar as séries, pois eliminaram a reprovação;
  - cortaram os investimentos na qualidade de ensino.
  E para enganar a vanguarda educacional, que eram os anticorpos criados antes dos planos da política tomarem ação, eles criaram formas de desmoralizá-los em praça pública:
  - criaram programas que distribuem dinheiro público para população "carente";
  - controlam a mídia calando a voz da população e mostrando livremente suas ações mais hediondas sem nenhuma consequência;
  - patrocinaram festas e atrações, maravilhas grandiosas de conteúdo fútil e sem qualquer utilidade.
Dessa forma a população, já desprovida das defesas da educação, foram enganadas e hipnotizadas pelos vírus políticos, colocando-os contra a vanguarda educacional para que suas festas e sua verba extra não lhe fossem tiradas.
  Com o apoio da população, os vírus estavam livres espalharam suas doenças por todo o planeta, então:
  - criaram brechas que tornaram legais crimes contra animais, meio ambiente e que dificultam a punição de criminosos;
  - anularam com força bruta passeatas e protestos;
  - exploraram outros países com guerras para obter maior controle do "deus" dinheiro sobre a Terra;


Destruíram tudo...

  A população voltou suas preces para a política e seus vírus, que possuíam agora o poder do "deus" dinheiro, mas eles não puderam fazer nada. Água era escassa, os animais quase já não existiam já que as cidades haviam subjugado as florestas e campos, e assim diminuiu a produção de alimentos.
  Os vírus ficaram mudos, e o "deus" dinheiro morreu junto com o planeta. Ao passo que isso foi acontecendo, a população se deu conta que a vida que eles tinham não poderia se sustentar, pessoas morriam de fome, sede e eram vítimas de doenças pois não havia mais recursos medicinais ou curativos.

  Começaram do zero.
Cultivaram a terra e fizeram o possível para limpar a água, preservaram as poucas árvores e plantas que ainda viviam, mantiveram os animais juntos para que voltassem a reproduzir. Derrubaram os muros e desfizeram as estradas, retiraram todas as barreiras para o ciclo natural e pouco a pouco, depois de anos de trabalho e solidariedade, conseguiram reverter grande parte dos danos que causaram ao ecossistema.

  Espero que vocês não tenham problemas iguais aos que eu enfrentei e espero que sua juventude dê valor à educação e ao meio ambiente, pois o gosto da destruição é amargo, passar fome é pior que não ter a tecnologia de ponta que não serve de nada para sua sobrevivência e ver seu planeta sem vida é pior que morrer...

Boa sorte...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Dia da Árvore - Sakura


Hoje é o Dia da Árvore e para homenagear este dia, escolhi a Cerejeira ou Sakura (桜), que é também uma referência na cultura japonesa.


A Sakura é uma árvore muito cultivada no Japão e, pelo curto período em que floresce, é muito apreciada.
As flores da sakura simbolizam nuvens por florescerem rapidamente em abundancia, e fazem parte da metáfora para a natureza efêmera da vida, o breve momento do florescimento, a beleza extrema e morte rápida, tem sido muitas vezes associado com a mortalidade, por esta razão, as sakuras são símbolos ricamente explorados na arte japonesa, em animes, mangás, filmes e na música.

Você sabia que existem mais de 200 espécies de Sakura só no Japão?
As principais características de cada espécie pode ser observada pela quantidade de pétalas das flores que variam de 5 para 100 pétalas, suas cores: rosa, branco ou amarelas, a coloração das folhas, qual estação e o tempo que levam para florescer, as formas das árvores e se produzem ou não frutos.
A espécie mais cultivada é a Somei Yoshino, que floresce no final de março ou começo de abril, flores rosa clarinho quase brancas de 5 pétalas.

Para maiores informações sobre as espécies e suas características clique na imagem (em inglês)

A Festa Hanami (花見) é a tradição secular de observar o florecer das Sakuras no Japão.
Comemorado por muitas pessoas, é muito difícil conseguir um lugar nos príncipais pontos de observação, perto de castelos, templos, santuários xinto e em parques, onde os grupos se reúnem para observar as flores e realizam um piquenique embaixo das belas árvores.

No Brasil também comemoramos o Hanami, chamado aqui de Festival das Cerejeiras em Flor, em colônias japonesas e templos.
Já participei do festival de Campos do Jordão, interior de São Paulo, é uma festa belíssima e o jardim das cerejeiras é vasto e maravilhoso!

Confiram mais fotos das lindas Sakuras:










domingo, 18 de setembro de 2011

O Pequeno Príncipe e o Príncipe Azul

O Pequeno Príncipe é um dos livros mais vendidos no mundo, faz sucesso especialmente com adultos e é uma das leituras mais gostosas de todos os tempos! Além de encantador, o Pequenino no ensina que mesmo na vida adulta, não precisamos perder a imaginação, a fantasia e a magia de cada dia, de cada sonho e cada relacionamento.

Pessoalmente, o Pequeno Príncipe transcende espiritualidade, na sua forma mais pura: a infância.

Durante a infância, não existe absolutamente nada que seja impossível! E é assim que Saint-Exupéry construiu toda sua história, onde um menino é capaz de viajar para outros planetas, falar com animais, criar uma rosa e amar a todos. E isso não acontece só na sua imaginação, pois tudo que é mente é real! (Lei do Mentalismo)

Outro motivo pelo qual O Pequeno Príncipe é muito famoso é pela riqueza, beleza e do impacto de suas frases, que ficam na memória sem que tenhamos que ler uma segunda vez.

- Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos.
- Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.
- Amar não é olhar um para o outro, é olhar juntos na mesma direção.
- As estralas são todas iluminadas. Será que elas brilham para que cada um possa encontrar a sua?
- É preciso que eu suporte duas ou três lagartas se eu quiser conhecer as borboletas.

"O Pequeno Príncipe foi um das inspirações para mim como Pandumiel, além de uma amiga muito especial me apelidar de "Pequeno Príncipe" por sermos bem parecidos, realmente muitas das características e da personalidade do pequenino eu tenho em mim.
Para não usar o nome dele, ajustei as coisas e como amo a cor Azul e como Pandumiel é mesmo um príncipe... me auto apelidei: O Príncipe Azul!"

Voltando...
Além do livro, existem filmes, brinquedos, UD e animações deste incrível personagem, inclusive uma nova série animada de excelente qualidade!
Confira a música da nova série: Yannick Noah - Le Petit Prince




Enquanto procurava material para o post, encontrei o Museu do Pequeno Príncipe em Hakone no Japão!
Confiram o site em inglês:
Passagem obrigatória para os turistas e moradores do Japão!

Confira mais imagens do Principezinho (clique e amplie):









terça-feira, 13 de setembro de 2011

Conto - Um rapaz encontra outro rapaz...

Andava pela rua como se fosse uma passarela
Desprezando os olhares de metralhadora
Devolvendo vida aos olhares admirados
Descia assim para o trabalho todos os dias....

Não ia para o trabalho desta vez
Sem nenhuma jóia ou adereço
Vestindo peças simples, azul claro
Sem luxo, mas de muita qualidade 


Passava pelos conhecidos com um sorriso
E para todos por quem passava "Bom dia!"
Não era simpatia, é empatia
Gosta mesmo de todo mundo

Gostava dos que não gostam dele
Ama tanto assim porque sabe que dói
Mas não ri, essa dor é para doer calada
Fazer a mente trabalhar, ou o coração

Para um pouco, arruma o cadarço
Espera no ponto, o ponto certo
Aí Ele vem, formoso e galante
Abre a porta só pra ele entrar...

E o coração palpitava com aquilo 
Dizer "Eu Te Amo" é cedo demais?
Me sento ao seu lado sem expectativas
Senão aquelas que eu posso controlar

Partimos pra não mais voltar
O Amor-da-minha-vida e eu
Ele tão charmoso e suave
Eu reencarnando minha paz...

E ele me diz: "Eu Te Amo", primeiro
Foi delicioso e me fez relaxar de vez
E assim um rapaz encontra outro rapaz
Finalmente livres do "céu e inferno"


sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Desabafo e crítica ao mundo hoje!

Antes de mais nada, parabéns pelo trabalho Gustavo Horn com o vídeo Desabafo! Em 2 minutos, fez uma denúncia séria de como estamos vivendo hoje.
Por isso quero completar com alguns exemplos aqui no blog e espero iniciar uma discussão bem legal.





Pessoal, parem pra pensar...
Quando a gente era criança, não tinha outra coisa pra nos distrair, senão televisão e, para os que tinham condições, um vídeo-game. O restante do tempo, nossos pais passavam trabalhando, nós passávamos brincando ou estudando.

Lembram das brincadeiras?
Pulavamos corda, brincavamos de esconde-esconde, amarelinha, pega-pega, peão e bolinha de gude.
Em casa, faziamos os desenhos dos nossos super-heróis favoritos, inventávamos muitas engenhocas com sucata e desmontávamos (ou faziamos cirúrgia) em nossos brinquedos.

Pelo menos 1 vez por ano, íamos viajar para visitar os parentes distantes. Nossos pais nos levavam para o bosque de vez em quando, ver os animais e todo final de semana, visitávamos algum tio ou tia, ou a casa de nossos avós, onde passavamos um bom tempo com nossas famílias.

Hoje em dia, isso está muito mais difícil de acontecer...

O panorama de hoje em dia é todos da casa trabalharem, chegarem tarde do trabalho cansados e estressados, mal falar com sua família e passar o resto do dia no computador assistindo vídeos na internet e falando com nossos amigos.
E as crianças, passam o dia inteiro no computador, jogando e conversando sobre qualquer futilidade, sobre fofocas e sobre o que aconteceu em seus programas de tv e seriados favoritos.

Onde estão a cultura, a leitura, os estudos e as brincadeiras?
Nossas vidas estão resumidas em computador, balada, futilidades na internet e trabalho.

Assistam o vídeo e reflitam, discutam com seus amigos, e vamos mudar nossas atitudes no dia-a-dia!

O Diário de Bordo do Quiroga falou sobre isso a 2 dias atrás, e é perfeito para fechar este post:

DISCIPLINA ÀS AVESSAS - Diário de Bordo Quiroga

A indolência tem sua própria sistemática, não é mero abandono de obrigações e responsabilidades. Pelo contrário, as pessoas que se entregam à indolência e não levam à prática as boas intenções que diariamente enunciam mentalmente não se comportam assim por abandono, há toda uma sistemática envolvida nisso, uma disciplina às avessas que cria hábitos, esses hábitos se transformam no caráter e finalmente, pela repetição, isso se converte em destino. Para superar essa voragem é preciso aplicar uma reviravolta intencional e assumir o comando dessa disciplina às avessas, conduzindo-a a um objetivo mais nobre, verdadeiro e, por isso, libertador. Criar hábitos saudáveis e sustentá-los é algo que toda pessoa indolente seria capaz de administrar, mas só ela e somente ela pode realizar a façanha.



Um ótimo complemento para este post é o texto Companhia Elétrica no blog do Robson Rogers. Aproveitem!

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Remember, remember the fifth of November




Hoje é o dia em que comemoramos a Independência do Brasil!
Mas onde está a independência dos países? Onde esconderam?

Onde está a liberdade de cada país agir como se deve e como quiser, quando tudo que se faz tem que ser de acordo com a concessão de quem tem dinheiro, de conselhos e politicagens que não conhecem, e nunca vão conhecer, a realidade de cada nação e os estados, e as pessoas, que fazem deles verdadeiros?

Onde está a força de vontade dos líderes de cada país em melhorar, ampliar e equilibrar sua Terra e com isso elevar o nível de educação, o atendimento da saúde e a segurança para a população?

No Brasil, eu voto em uma reforma geral, limpar toda a corja que existe hoje no governo, lavar toda a administração e trocar tudo! E que os novos não tenham nem contato com os antigos!

A Política tornou-se politicagem, e pra isso mudar deve haver uma reforma geral!
Que essa reforma, essa mudança, seja resolvida nos limites dos acordos formais e de congressos.
Pois quando a população não aguentar mais ser usada e rejeitada, a Revolução vai varrer tudo e todos em seu caminho...

Remember, remember the fifth of November
Gunpowder, treason and plot
I see no reason why gunpowder treason
Should ever be forgot
Guy Fawkes, Guy Fawkes, 'twas his intent
To blow up the King and the Parliament
Three score barrels of powder below
Poor old England to overthrow
By God's providence he was catched
With a dark lantern and burning match
Holloa boys, holloa boys
God save the King!
Hip hip hooray!
Hip hip hooray!
A penny loaf to feed ol' Pope
A farthing cheese to choke him
A pint of beer to rinse it down
A faggot of sticks to burn him
Burn him in a tub of tar
Burn him like a blazing star
Burn his body from his head
Then we'll say ol' Pope is dead.
Hip hip hooray!
Hip hip hooray!

(Traditional English Rhyme - 17th Century)

domingo, 4 de setembro de 2011

Primeiro aniversário do 海傷 - Umikizu!

Olá pessoal!
Hoje dia 4 de Setembro, depois de 1 mês de férias, o 海傷 - Umikizu! está comemorando seu primeiro aniversário e estou muito contente com o resultado que obtive neste primeiro ano.



Fiz novos amigos, fiz muitas pesquisas e transmiti todo o conhecimento que encontrei, além de muitas experiências e discussões que fizeram com que este espaço seja ainda mais sagrado!
E esta é uma excelente oportunidade para que todos conheçamos um pouco de como é comemorado o aniversário no Japão!


Shiti Go San (七五三)
No período Edo o índice de mortalidade infantil era alto, por isso costumava-se fazer várias comemorações para agradecer o desenvolvimento e desejar sorte às crianças. É comemorado no dia 15 de novembro.
Havia um ditado que dizia que até os 7 anos a criança era uma divindade, por isto era dado muita importância a estes rituais comemorativos. O fato de ter sido fixado 3, 5 e 7 anos era para evitar o número par por influência da cultura chinesa.

Seijin Shiki (成人式)
O Dia da Maioridade, quando jovens passam para a idade adulta e são reconhecidos como membros da sociedade, É comemorado na segunda feira da 2a. semana do mês de janeiro. Pela Lei Civil a partir de 20 anos o jovem passa a ser adulto, para isso tem que assumir também as responsabilidades como cidadão. Na época dos samurais os jovens precisavam prender os cabelos e usar pela primeira vez adornos para a cabeça e roupas próprias da época.

Kanreki (還暦)
A partir combinação de 10 e 12 signos do horóscopo chinês obtemos um ciclo de 60 anos. Ao completar 61 anos a pessoa retorna ao ano de nascimento, ou ao mesmo signo de nascimento. É conhecido como “segunda infância” e comemorado de maneira mais ostentosa do que o normal. É tradição enviar “tyantyanko” (ちゃんちゃんこ - tipo de quimono curto), chapéu e almofada vermelhos. Ultimamente as pessoas não gostam de comemorar assim porque dizem parecer “coisa de pessoa de idade”.

Estes são os 3 principais festivais de passagem de ano na cultura Japonesa.
Logo logo, o Umikizu vai participar do primeiro! `^^´
Mal posso esperar para ver o site festejando a boa sorte, e quero todos vocês me ajudando para que ele sempre tenha muita saúde e longevidade com muitos amigos e pensadores enriquecendo cada vez mais a todos nós!!!

Fonte e mais informações sobre datas comemorativas do Japão: Takasaki Internacional