Escolha uma palavra e deixe o Umikizu falar sobre isso...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A menina com tatuagem de carpa...


A tatuagem de carpa em suas costas era de dimensões reduzidas, assim como a própria menina.
Molhada com a chuva, a carpa parecia viva, e parecia dar seus próprios passos para auxiliar na execução do balé que a menina dançava na chuva, em meio às pedras - próximas do cais -, tendo apenas a distante luz da cidadezinha com seus lampiões...
Como ela era, a menina? Ela era a menina mais linda que você possa imaginar, mas possuía olhos azuis, e eles eram claros como o céu, mesmo durante a noite chuvosa.
E os deuses, e os homens... Ao olharem para essa menina, deuses e homens eram apenas seres, e nenhum deles possuía vocábulos para descrever a beleza do quadro; a menina com tatuagem de carpa dançando balé na chuva em meio às pedras...
Depois de todos os panteões olharem para ela, sem palavras, e depois de alguns pescadores taciturnos e tardios olharem para ela, com menos palavras que os deuses, ela terminou de dançar e cumprimentou o vazio das ondas fracas que arrebentavam hora ou outra no singelo cais de porto.
Sem a mínima noção de que todo o Cosmo a observava, sem nem ao menos acreditar em anjos, a menina de tatuagem de carpa mirou suas duas safiras oculares ao longe, em direção à cidadela de lampiões e pescadores. Enxugou rapidamente os pés numa toalha jogada ao chão, recolheu a mesma e pegou seus livros e seu estojo, que estavam jogados de lado nas tábuas do cais.
Andou, de cabeça baixa, e coração mais tranqüilo em direção às luzes.
Seu único pecado era ignorar-se, quando na verdade, até mesmo os deuses suspiravam ante sua visão...

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Animação - Alma by Rodrigo Blaas

Uma animação muito boa e dispensa comentários!
Só assistindo! `^^´

Umikizu indica: Alma by Rodrigo Blass


Alma from Rodrigo Blaas on Vimeo.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal e Próspero 2011


Que todos sejam muito felizes!
FELIZ NATAL!!!!!

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

O Jardim Secreto

Eu sempre tive um jardim secreto na minha vida. Em cada fase que eu passava, encontrava um novo.
O Jardim Secreto é o que eu chamo para os meus momentos de reflexão em algum ambiente calmo e tranquilo. Nos ultimos tempos tem sido meu quarto, mas já chegou a ser o telhado de uma casa vizinha que estava em construção, o qual eu chamava carinhosamente de "Alturas"

O Jardim Secreto (Conhecido como Lugar Secreto ou Átrio) é um Fort Knox que, através do quanto você o visita, ele vai se fortificando e te trazendo mais segurança.

É um lugar onde tudo o que acontece ali, fica ali (Ponto de confiabilidade). Onde tudo mais do lado de fora não mais importa. Material deixa de existir... e somente o seu ser se une a uma força muito maior; fazendo com que você se sinta como fazendo parte de tudo.... Esse é o primeiro estágio...

O Segundo... é quando o SER superior, após algum tempo de entrega do teu ser, decide também se mesclar ao teu ser.... A sensação é ser transportado para um outro universo... o corpo todo fica trêmulo.... e nada mais faz sentido no mundo... Dinheiro ... Status... e tudo mais perde o Valor.

O Terceiro estágio é a calma de espirito... e aos poucos você vai voltando a realidade (Mas em momento algum chega a incosciencia; a lucidez é total)... e agradece por saber que Alguém tão bom e infinitamente poderoso cuida de você.

"No Santo dos Santos, a fumaça me esconde, só Teus olhos me veem. Debaixo de tuas asas, é meu abrigo, meu Lugar Secreto; Só tua graça me basta e tua presença é meu prazer...."

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Origami de Star Wars: X-Wing

A arte oriental do Origame é realmente maravilhosa e como toda arte, ela também está atualizada!
Peguei o esquema no site Imperial College Union de UK (clique no link para ir ao site em inglês)

Mas aqui segue o passo a passo em português para vocês fazerem em casa e tudo o que você vai precisar é de um papel quadrado de mais ou menos 15cm.


Um quadrado de 15cm por 15cm
Dobre a folha nas 2 diagonais, de forma que a parte colorida fique para cima.


Vire o papel e dobre agora nas 2 diagonais.
Dobre 2 das pontas da diagonal para o meio
para que quando dobrado se forme um quadrado como na figura.


Dobre uma das abas com a parte fechada para o centro.
Fica assim.
Dobre para o outro lado para marcar bem.

Abra a aba e dobre nas áreas que você marcou.
Dessa forma.
Dobre a ponta do lado branco para dentro.

Desdobre.
Coloque a sobra da dobra anterior para dentro do papel.


De forma que a diagonal fique no centro da dobra
Repita com o outro lado.


Repita isso nas outras 3 abas.
Escolha um lado e dobra a sobre para baixo.
Faça isso no lado oposto e deixe as outras 2 abas como estão.


Vire o origame 90º
Dobre uma aba como se virasse uma página.


Dobre a parte de baixo horizontalmente para cima.
Agora desdobre, isso foi para marcar.

Empurre a aba para o centro como na figura.
Dobre de forma que fique em 90º com o corpo do origami.


Marque bem a drobra.
Repita nas outras 3 abas.


Dobre a parte maior da aba ao meio, vai puxar a parta da asa que dobrou antes, é normal.
Eu aproveitei para facilitar a dobra da asa também, que é o próximo passo.

Agora dobre a parte da asa ao meio também.

Repita no outro lado.

E então faça com todos os outros lados.
Deixe o origame de forma a parte de baixo esteja dividida ao meio como na figura.

Dobre um dos lado para dentro entre as asas.

Depois de pronto fica assim.

E depois dobre o outro lado também, faça igual, não torto como na foto (rs).

Abra a aba da asa para dobrar os canhões.

Dobre a ponta da asa para dentro e marque bem.

Ele vai ficar assim. Então faça nas outras 3 pontas.


E então nossa X-Wing está pronta para combater os caças imperiais!
Divirtam-se! `^^´

Espero que tenham gostado! Vou postar mais origamis, afinal de contas, Umikizu é um blog também voltado para a cultura Oriental e principalmente Japonesa!

Jya Mata! `^^´
Até mais!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Natal e sua história

Pois é, chegou o Natal e estaremos daqui alguns dias reunidos com nossos familiares e melhores amigos, comemorando esta data tão esperada por muitos!

Mas é bom conhecermos um pouco mais sobre o Natal e suas origens, além da origem da sua celebração! `^^´
Primeiro, conheça a Tradição pagã que deu origem as celebrações do Natal de hoje:

YULE

"Também conhecido como Natal, Ritual de Inverno, Meio do Inverno, Yule e Alban Arthan, o Sabbat do Solstício do Inverno é a noite mais longa do ano, marcando a época em que os dias começam a crescer, e as horas de escuridão a diminuir. é o festival do renascimento do sol e o tempo de glorificar o Deus. (O aspecto do Deus invocado nesse Sabbat por certas tradições wiccanas é Frey, o deus escandinavo da fertilidade, deidade associada à paz e à prosperidade.) São também celebrados o amor, a união da família e as realizações do ano que passou.

Nesse Sabbat os Bruxos dão adeus à Grande Mãe e bendizem o Deus renascido que governa a "metade escura do ano". Nos tempos antigos, o Solstício do Inverno correspondia à Saturnália romana (17 a 24 de dezembro), a ritos de fertilidade pagãos e a vários ritos de adoração ao sol.

Os costumes modernos que estão associados ao dia cristão do Natal, como a decoração da árvore, o ato de pendurar o visco e o azevinho, queimar a acha de Natal, são belos costumes pagãos que datam da era pré-cristã. (O Natal, que acontece alguns dias após o Solstício de Inverno e que celebra o nascimento espiritual de Jesus Cristo, é realmente a versão cristianizada da antiga festa pagã da época do Natal.)

A queima da acha de Natal originou-se do antigo costume da fogueira de Natal que era acesa para dar vida e poder ao sol, que, pensava-se, renascia no Solstício do Inverno. Tempos mais tarde, o costume da fogueira ao ar livre foi substituído pela queima dentro de casa de uma acha e por longas velas vermelhas gravadas com esculturas de motivos solares e outros símbolos mágicos. Como o carvalho era considerado a árvore Cósmica da Vida pelos antigos druidas, a acha de Natal é tradicionalmente de carvalho. Algumas tradições wiccanas usam a acha de pinheiro para simbolizar os deuses agonizantes Attis, Dionísio ou Woden. Antigamente as cinzas da acha de Natal eram misturadas à ração das vacas, para auxiliar numa reprodução simbólica, e eram espargidas sobre os campos para assegurar uma nova vida e uma Primavera fértil.

Pendurar visco sobre a porta é uma das tradições favoritas do Natal, repleta de simbolismo pagão, e outro exemplo de como o Cristianismo moderno adaptou vários dos costumes antigos da Religião Antiga dos pagãos. O visco era considerado extremamente mágico pelos druidas, que o chamavam de "árvore Dourada". Eles acreditavam que ela possuía grandes poderes curadores e concedia aos mortais o acesso ao Submundo. Houve um tempo em que se pensava que a planta viva, que é na verdade um arbusto parasita com folhas coriáceas sempre verdes e frutos brancos revestidos de cera, era a genitália do grande deus Zeus, cuja árvore sagrada é o carvalho. O significado fálico do visco originou-se da idéia de que seus frutos brancos eram gotas do sêmen divino do Deus em contraste com os frutos vermelhos do azevinho, iguais ao sangue menstrual sagrado da Deusa. A essência doadora de vida que o visco sugere fornece uma substância divina simbólica e um sentido de imortalidade para aqueles que o seguram na época do Natal. Nos tempos antigos, as orgias de êxtase sexual acompanhavam freqüentemente os ritos do deus-carvalho; hoje, contudo, o costume de beijar sob o visco é tudo o que restou desse rito.

A tradição relativamente moderna de decorar árvores de Natal é costume que se desenvolveu dos bosques de pinheiro associados à Grande Deusa Mãe. As luzes e os enfeites pendurados na árvore como decoração são, na verdade, símbolos do sol, da lua e das estrelas, como aparecem na árvore Cósmica da Vida. Representam também as almas que já partiram e que são lembradas no final do ano. Os presentes sagrados (que evoluíram para os atuais presentes de Natal) eram também pendurados na árvore como oferendas a várias deidades, como Attis e Dionísio.

Outro exemplo das raízes pagãs das festas de Natal está na moderna personificação do espírito do Natal, conhecido como Santa Claus (o Papai Noel) que foi, em determinada época, o deus pagão do Natal. Para os escandinavos, ele já foi conhecido como o "Cristo na Roda", um antigo título nórdico para o Deus Sol, que renascia na época do Solstício de Inverno.

Colocar bolos nos galhos das macieiras mais velhas do pomar e derramar sidra como uma libação consistiam num antigo costume pagão da época do Natal praticado na Inglaterra e conhecido como "beber à saúde das árvores do pomar". Diz-se que a cidra era um substituto do sangue humano ou animal oferecido nos tempos primitivos como parte de um rito de fertilidade do Solstício do Inverno. Após oferecer um brinde à mais saudável das macieiras e agradecer a ela por produzir frutos, os fazendeiros ordenavam às árvores que continuassem a produzir abundantemente.

Os alimentos pagãos tradicionais do Sabbat do Solstício do Inverno são o peru assado, nozes, bolos de fruta, bolos redondos de alcaravia, gemada e vinho quente com especiarias."

Este texto foi retirado do excelente site Círculo Sagrado.

E para constar um pouco da história do Natal que todos conhecemos, que retirei da Wikipedia:

"O Natal ou Dia de Natal é um feriado comemorado anualmente em 25 de Dezembro (nos países eslavos e ortodoxos cujos calendários eram baseados no calendário juliano, o Natal é comemorado no dia 7 de janeiro), que comemora o nascimento de Jesus de Nazaré.
A data de comemoração do Natal não é conhecida como o aniversário real de Jesus e pode ter sido inicialmente escolhida para corresponder com qualquer festival histórico Romano ou com o solstício de inverno. O Natal é o centro dos feriados de fim de ano e da temporada de férias, sendo, no Cristianismo, o marco inicial do Ciclo do Natal que dura doze dias.
Embora tradicionalmente seja um feriado cristão, o Natal é amplamente comemorado por muitos não-cristãos, sendo que alguns de seus costumes populares e temas comemorativos têm origens pré-cristãs ou seculares.

Costumes populares modernos típicos do feriado incluem a troca de presentes e cartões, a Ceia de Natal, músicas natalinas, festas de igreja, a Missa do Galo, uma refeição especial e a exibição de decorações diferentes; incluindo as árvores de Natal, pisca-piscas e guirlandas, visco, presépios e ilex. Além disso, o Papai Noel (Santa Claus) é uma figura mitológica popular em muitos países, associada com os presentes para crianças."

------------------------------------------------

E como de costume, a música que mais me lembra Natal e muita gente não aguenta mais ouvir, mas eu A-DO-RO!



Então é Natal - Simone

Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, do amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, pro enfermo e pro são.
Pro rico e pro pobre, num só coração.
Então bom Natal, pro branco e pro negro.
Amarelo e vermelho, pra paz afinal.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Então é Natal, o que a gente fez?
O ano termina, e começa outra vez.
E Então é Natal, a festa Cristã.
Do velho e do novo, o amor como um todo.
Então bom Natal, e um ano novo também.
Que seja feliz quem, souber o que é o bem.

Harehama, Há quem ama.
Harehama, ha...
Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina, e nasce outra vez.
Hiroshima, Nagasaki, Mururoa...

É Natal, É Natal, É Natal.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Umikizu indica - A Fantástica Fábrica de Chocolates - Tim Burton

Charlie é um garoto muito pobre, mas inteligente e responsável. Sua família, composta pelo seus pais, avô e avó materno e parteno, mora inteira em uma casa bem velha, caindo aos pedaços!
Seu pai trabalha na fábrica de pasta de dente para sustentar a família e o salário mal dá para comer.

O dia que Charlie mais esperava era o dia de seu aniversário, quando ele ganhava uma barra de chocolates Wonka e podia comê-la todinha sozinho, o que ajudava a complementar sua alimentação, já que Charlie estava em fase de crescimento e era o menor e mais fraquinho da sua turma na escola.

No passado, seu avô Joe trabalhava na fábrica de chocolates, mas todos os funcionários da fábrica foram mandados embora já que os concorrentes de Wonka estavam enviando espiões como funcionários e roubavam suas idéias geniais! Desde então, ninguém entrou ou saiu da fábrica.
Depois disso e por muito tempo a fábrica ficou fechada, mas de repente, sem ninguém entrar ou sair de lá, começou a funcionar novamente a todo vapor, intrigando a população da pequena cidade.

Então um dia é lançada uma incrível promoção: "Quem encontrar um dos 5 bilhetes dourados, passará um dia na Fábrica de Chocolates na companhia de Willy Wonka, e no final do passeio uma das crianças ganhará um grande prêmio, além de chocolate à vontade pela vida toda!"

Na visita a fábrica, são explorados os sentimentos, conduta e o comportamento das crianças, mostrando também a relação entre os pais e filhos.
O desenrolar da história é hilário e muito excitante!!!
Uma oportunidade de assistir um bom filme e aprender com ele, é de sua escolha! `^^´

"Dinheiro, eles imprimem muito mais a cada dia, mas uma oportunidade como essa, são 5 no mundo todo"
Essa é com certeza uma das frases mais marcantes do filme!

Assistam e comam uma grande barra do seu chocolate favorito, porque o filme é de dar água na boca!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Último Boa Noite...

O Homem é livre, mas não sabendo aproveitar a liberdade, se prende a alguma coisa palpável...
Depois de milênios peregrinando ele encontrou um lugar para descansar, sem saber que o descanso é para os mortais, dormiu acordado...
Encontrou-se nos pequenos detalhes, dos que passam desapercebidos até mesmo dos olhos mais bem treinados! Vive feliz desde então...
Mas de saudade ele gritou: Querem-me morto para venerar! Digo-lhes, vivo continuo para alegrar! Mesmo que tenha nascido, aqui, mortal...
Sendo perseguido pelos meus inimigos porque eles não tem a capacidade de viver sem meu exemplo para inspirá-los!
Vi então, uma luz no horizonte e acreditei ser uma fogueira. Quando cheguei perto era uma vela, que se apagou com medo do meu calor...

Por isso, não me peça por um minuto... O tempo comigo não existe... esqueça os limites e aprenda a viver sem se importar se vai chover amanhã...
Se você acha uma idéia bonita e excitante, não compre! Compre uma idéia que você Acredite! E seja fiel a sua Fé! Ou não compre!!
E quando te perguntarem se você é feliz, responda que sim. Você terá feito um coitado feliz! Isso é uma coisa que vale a pena fazer!

Não espere para amar... Ame! Não existe razão para se amar... Existe um amor para cada razão, não o contrário...
Sem saber que era impossível, fui lá e sonhei... Sonhos que se tornam realidade... Sonhos que me fazem viver de verdade... Sonhei...
E depois de fingir gostar do beijo, virei-me e cuspi. Voltei meu rosto cheio de ódio para o ladrão de sonhos e disse o último...
Boa Noite...

Reproduzir não é Criar - Quiroga


Ater-se às regras do jogo é o argumento mais arvorado por aqueles que se defendem ao praticar vícios e distanciar-se da ética. É legítimo esse argumento, mas só do ponto de vista da adequação cultural, fundamentada sobre uma maioria equivocada. Porém, adequar-se às regras do jogo é um atentado contra a própria natureza criativa de nossa humanidade. Adequar-se é meramente reproduzir o que vem sendo feito, sem questionar se poderia ser melhorado e transformado. Criar não é reproduzir, mas reunir os erros e acertos de nossos ancestrais para reinventar as regras do jogo e continuamente deixar aos nossos descendentes um mundo melhor. Deixar de fazer isso é motivo de culpa verdadeira, culpa que não é sentimento, mas insistente ação errada.

Data estelar: Mercúrio, Marte e Plutão em conjunção em Capricórnio; Lua cresce em Peixes.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Amor sem dono...

Então eu continuo aqui, amando, me dedicando à silhueta deste homem, pois amo-o mais do que deveria...
Estou aqui, dedicando todo meu amor e amando, como se sua silhueta pudesse estar completa com um corpo... pois não está!
Mas o amor que lhe guardo é tão grande quanto se estivesse preenchida com o homem que a silhueta será!
Pois o amor não precisa de nada para existir. Ele está lá, o homem da silhueta vai chegar e o amor estará esperando-o.
E meus braços abertos para recebê-lo....


Não espere para amar...
Ame!
Não existe razão para se amar...
Existe um amor para cada razão, não o contrário...


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Respeito. Muito Obrigado!

Respeito principalmente pela vida.
Respeito essencialmente para que haja vida e que ela continue.
Respeito pelo que é diferente, pelo que é contrário e pelo outro.
Respeito pelo que você não conhece, principalmente por não conhecer!

Transforme o desrespeito em curiosidade e conheça o que te da medo, pois assim, passará a ter respeito pelo conhecimento.

O que te leva a ter preconceito e desrespeito por algo ou alguém é o medo.
É ter medo do que não conhece, do que é diferente, do outro.
Conhece o que te da medo, enfrente isso, seja mais forte, mostre que você não se entrega ao que te oprime e tudo na sua vida vai mudar.

Você vai começar a querer saber mais, descobrir mais, buscar mais conhecimentos e isso vai te mostrar caminhos que antes você não conseguia enxergar.
Vai mostrar que em tudo você pode melhorar...

Só por respeitar alguém, algo, respeitar o conhecimento...
Respeitar a vida!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Os Níveis do Ser Humano

Há alguns anos, um buscador aproximou-se de um Mestre da Arte Real (um verdadeiro Místico) e perguntou-lhe:

- Mestre, gostaria muito de saber por que razão os seres humanos guerreiam-se e por que não conseguem entender-se, por mais que apregoem estar buscando a Paz e o entendimento, por mais que apregoem o Amor e por mais que afirmem abominar o ódio.

- Essa é uma pergunta muito séria. Gerações e gerações a têm feito e não se conseguiu uma resposta satisfatória, por não se darem conta de que tudo é uma questão de nível evolutivo. A grande maioria da Humanidade do Planeta Terra está vivendo atualmente no nível 1. Muitos outros, no nível 2 e alguns outros no nível 3. Essa é a grande maioria. Alguns poucos já conseguiram atingir o nível 4, e pouquíssimos o nível 5, raríssimos o nível 6 e somente de mil em mil anos aparece algum que atingiu o nível 7.

- Mas, Mestre, que níveis são esses?

- Não adiantaria nada explicá-los, pois além de não entender, também, logo em seguida, você os esqueceria e também a explicação. Assim, prefiro levá-lo numa viagem mental para realizar uma série de experimentos e aí, tenho certeza, você vivenciará e saberá exatamente o que são esses níveis, cada um deles, nos seus mínimos detalhes.

Colocou então as pontas de dois dedos na testa do consulente e, imediatamente, ambos estavam em outro local, em outra dimensão do Espaço e do Tempo. O local era uma espécie de bosque e, um homem se aproximava deles. Ao chegar mais perto, disse-lhe o Mestre:

- Dê-lhe um tapa no rosto.

- Mas por quê? Ele não me fez nada...
- Faz parte do experimento. Dê-lhe um tapa, não muito forte, mas dê-lhe um tapa!

E o homem aproximou-se mais do Mestre e do consulente. Este, então, chegou até o homem, pediu-lhe que parasse e, sem nenhum aviso, deu-lhe um tapa que estalou. Imediatamente, como se fosse feito de mola, o desconhecido revidou com uma saraivada de socos e o consulente foi ao chão, por causa do inesperado do ataque.

Instantaneamente, como num passe de mágica, o Mestre e o consulente já estavam em outro lugar, muito semelhante ao primeiro e outro homem se aproximava. O Mestre, então comentou:

- Agora, você já sabe como reage um homem do nível 1. Não pensa. Age mecanicamente. Revida sem pensar. Aprendeu a agir dessa maneira e esse aprendizado é tudo para ele, é o que norteia sua vida, é sua "muleta". Agora, você testará da mesma maneira o nosso companheiro que vem ai, do nível 2.

Quando o homem se aproximou, o consulente pediu que parasse e lhe deu um tapa. O homem ficou assustado, olhou para o consulente, mediu-o de cima a baixo e, sem dizer nada, revidou com um tapa, um pouco mais forte.

Instantaneamente, já estavam em outro lugar muito semelhante ao primeiro.

- Agora você já sabe como reage um homem do nível 2. Pensa um pouco, analisa superficialmente a situação, verifica se está à altura do adversário e aí, então, revida. Se se julgar mais fraco, não revidará imediatamente, pois irá revidar à traição. Ainda é carregado pelo mesmo tipo de "muleta" usada pelo homem do nível 1. Só que analisa um pouco mais as coisas e fatos da vida. Entendeu? Repita o mesmo com esse que vem chegando.

A cena repetiu-se. Ao receber o tapa, o homem parou, olhou para o consulente e assim falou:

- O que é isso, moço?... Mereço uma explicação, não acha? Se não me explicar direitinho por que razão me bateu, vai levar uma surra! Estou falando sério!

- Eu e o Mestre estamos realizando uma série de experimentos e este experimento consta exatamente em fazer o que fiz, ou seja, bater nas pessoas para ver como reagem.

- E querem ver como reajo?

- Sim. Exatamente isso...

- Já reparou que não tem sentido?

- Como não? Já aprendemos ótimas lições com as reações das outras pessoas. Queremos saber qual a lição que você irá nos ensinar...

- Ainda não perceberam que isso não faz sentido? Por que agredir as pessoas assim, gratuitamente?

- Queremos verificar - interferiu o Mestre - as reações mais imediatas e primitivas das pessoas. Você tem alguma sugestão ou consegue atinar com alguma alternativa?

- De momento, não me ocorre nenhuma. De uma coisa, porém, estou certo: esse teste é muito bárbaro, pois agridem os outros. Estou realmente muito assustado e chocado com essa ação de vocês, que parecem pessoas inteligentes e sensatas. Certamente deverá haver algo menos agressivo e mais inteligente. Não acham?

- Enfim - perguntou o buscador - como você vai reagir? Vai revidar? Ou vai nos ensinar uma outra maneira de conseguir aprender o que desejamos?

- Já nem sei se continuo discutindo com vocês, pois acho que estou perdendo meu tempo. São dois malucos e tenho coisas mais importantes para fazer do que ficar conversando com dois malucos. Afinal, meu tempo é precioso demais e não vou desperdiçá-lo com vocês. Quando encontrarem alguém que não seja tão sensato e paciente como eu, vão aprender o que é agredir gratuitamente as pessoas. Que outro, em algum lugar, revide por mim. Não vou nem perder meu tempo com vocês, pois não merecem meu esforço... São uns perfeitos idiotas... Imagine só, dar tapas nos outros... Besteira... idiotice... falta do que fazer... E ainda querem me convencer de que estão buscando conhecimento... Picaretas! Isso é o que vocês são! Uns picaretas! Uns charlatães!

Imediatamente, aquela cena apagou-se e já se encontravam em outro lugar, muito semelhante a todos os outros. Então, o Mestre comentou:

- Agora você já sabe como age o homem do nível 3. Gosta de analisar a situação, discutir os pormenores, criticar tudo, mas não apresenta nenhuma solução ou alternativa, pois ainda usa as mesmas "muletas" que os outros dois anteriores também usavam. Prefere deixar tudo "pra lá", pois "não tem tempo" para se aborrecer com a ação, que prefere deixar para os "outros".

É um erudito e teórico que fala muito, mas que age muito pouco e não apresenta nenhuma solução para nenhum problema, a não ser a mais óbvia e assim mesmo, olhe lá... É um medíocre enfatuado, cheio de erudição, que se julga o "Dono da Verdade", que se acha muito "entendido" e que reclama de tudo e só sabe criticar. É o mais perigoso de todos, pois costuma deter cargos de comando, por ser, geralmente, portador de algum diploma universitário em nível de bacharel (mais outra "muleta") e se pavoneia por isso.

Possui instrução e muita erudição. Já consegue ter um pouquinho mais de percepção das coisas, mas é somente isso. Ainda precisa das "muletas" para continuar vivendo, mas começa a perceber que talvez seja melhor andar sem elas. No entanto, por "preguiça vital" e simples falta de força de vontade, prefere continuar a utilizá-las. De resto, não passa de um medíocre enfatuado que sabe apenas argumentar e tudo criticar. Vamos agora saber como reage um homem do nível 4. Faça o mesmo com esse que aí vem.

E a cena repetiu-se. O caminhante olhou para o buscador e perguntou:

- Por que você fez isso? Eu fiz alguma coisa errada? Ofendi você de alguma maneira? Enfim, gostaria de saber por que motivo você me bateu. Posso saber?

- Não é nada pessoal. Eu e o Mestre estamos realizando um experimento para aprender qual será a reação das pessoas diante de uma agressão imotivada.

- Pelo visto, já realizaram este experimento com outras pessoas. Já devem ter aprendido muito a respeito de como reagem os seres humanos, não é mesmo?

- É... Estamos aprendendo um bocado. Qual será sua reação? O que pensa de nosso experimento? Tem alguma sugestão melhor?

- Hoje vocês me ensinaram uma nova lição e estou muito satisfeito com isso e só tenho a agradecer por me haverem escolhido para participar deste seu experimento. Apenas acho que vocês estão correndo o risco de encontrar alguém que não consiga entender o que estão fazendo e revidar a agressão. Até chego a arriscar-me a afirmar que vocês já encontraram esse tipo de pessoa, não é mesmo? Mas também se não corrermos algum risco na vida, nada jamais poderá ser conseguido em termos de evolução. Sob esse ponto de vista, a metodologia experimental que vocês imaginaram é tão boa como outra qualquer. Já encontraram alguém que não entendesse o que estão a fazer e igualmente reações hostis, não é mesmo? Por outro lado, como se trata de um aprendizado gostaria muito de acompanhá-los para partilhar desse aprendizado. Aceitaria-me como companheiro de jornada? Gostaria muito de adquirir novos conhecimentos. Posso ir com vocês?

- E se tudo o que dissemos for mentira? E se estivermos mal-intencionados? - perguntou o Mestre - Como reagiria a isso?

- Somente os loucos fazem coisas sem uma razão plausível. Sei muito bem distinguir um louco de um são e, definitivamente, tenho a mais cristalina das certezas de que vocês não são loucos. Logo, alguma razão vocês deverão ter para estarem agredindo gratuitamente as pessoas... Essa razão que me deram é tão boa e plausível como qualquer outra. Seja ela qual for, gostaria de seguir com vocês para ver se minhas conjecturas estão certas, ou seja, de que falaram a verdade e, se assim for, compartilhar da experiência de vocês. Enfim, desejo aprender cada vez mais, e esta é uma boa ocasião para isso. Não acham?

Instantaneamente tudo se desfez e logo estavam em outro ambiente, muito semelhante aos anteriores. O Mestre assim comentou:

- O homem do nível 4 já está bem distanciado e se desligando gradativamente dos afazeres mundanos. Já sabe que existem outros níveis mais baixos e outros mais elevados e está buscando apenas aprender mais e mais para evoluir, para tornar-se um sábio. Não é, em absoluto, um erudito (embora até mesmo possa possuir algum diploma universitário) e já compreende bem a natureza humana para fazer julgamentos sensatos e lógicos. Por outro lado, possui uma curiosidade muito grande e uma insaciável sede de conhecimentos. E isso acontece porque abandonou suas "muletas" há muito pouco tempo, talvez há um mês ou dois. Ainda sente falta delas, mas já compreendeu que o melhor mesmo é viver sem elas.

Dentro de muito pouco tempo, só mais um pouco de tempo, talvez mais um ano ou dois, assim que se acostumar, de fato, a sequer pensar nas "muletas", estará realmente começando a trilhar o caminho certo para os próximos níveis. Mas vamos continuar com o nosso aprendizado. Repita o mesmo com este homem que aí vem, e vamos ver como reage um homem do nível 5.

O tapa estalou.

- Filho meu... Eu bem o mereci por não haver percebido que estavas necessitando de ajuda. Em que te posso ser útil?

- Não entendi... Afinal, dei-lhe um tapa. Não vai reagir?

- Na verdade, cada agressão é um pedido de ajuda. Em que te posso ajudar, filho meu?

- Estamos dando tapas nas pessoas que passam, para conhecermos suas reações. Não é nada pessoal...

- Então, é nisso que te posso ajudar? Ajudar-te-ei com muita satisfação pedindo-te perdão por não haver logo percebido que desejas aprender. É meritória tua ação, pois o saber é a coisa mais importante que um ser humano pode adquirir. Somente por meio do saber é que o homem se eleva. E se estás querendo aprender, só tenho elogios a te oferecer. Logo aprenderás a lição mais importante que é a de ajudar desinteressadamente as pessoas, assim como estou a fazer com vocês neste momento. Ainda terás um longo caminho pela frente, mas se desejares, posso ser o teu guia nos passos iniciais e te poupar de muitos transtornos e dissabores. Sinto-me perfeitamente capaz de guiar-te nos primeiros passos e fazer-te chegar até onde me encontro. Daí para diante, faremos o restante do aprendizado juntos. O que achas da proposta? Aceitas-me como teu guia?

Instantaneamente a cena se desfez e logo se viram em outro caminho, um pouco mais agradável do que os demais, e o Mestre assim se expressou:

- Quando um homem atinge o nível 5, começa a entender que a Humanidade em geral, digamos, o homem comum, é como uma espécie de adolescente que ainda não conseguiu sequer se encontrar e, por esse motivo, como todo e qualquer bom adolescente, é muito inseguro e, devido a essa insegurança, não sabe como pedir ajuda e agride a todos para chamar atenção sobre si mesmo e pedir, então, de maneira velada e indireta, a ajuda de que necessita. O homem do nível 5 possui a sincera vontade de ajudar e de auxiliar a todos desinteressadamente, sem visar vantagens pessoais. É como se fosse uma Irmã Dulce ou uma Madre Teresa de Calcutá da vida. Sabe ser humilde e reconhece que ainda tem muito a aprender para atingir níveis evolutivos mais elevados. E deseja partilhar gratuitamente seus conhecimentos com todos os seres humanos. Compreende que a imensa maioria dos seres humanos usa "muletas" diversas e procura ajudá-los, dando-lhes exatamente aquilo que lhe é pedido, de acordo com a "muleta" que estão usando ou com o que lhes é mais acessível no nível em que se encontram. A partir do nível 5, o ser humano adquire a faculdade de perceber em qual nível o seu interlocutor se encontra. Agora, dê um tapa nesse homem que aí vem. Vamos ver como reage o homem do nível 6.

E o buscador iniciou o ritual. Pediu ao homem que parasse e lançou a mão ao seu rosto. Jamais entenderá como o outro, com um movimento quase instantâneo, desviou-se e a sua mão atingiu apenas o vazio.

- Meu filho querido! Por que você queria ferir-se a si mesmo? Ainda não aprendeu que agredindo os outros, você estará agredindo a si mesmo? Você ainda não conseguiu entender que a Humanidade é um organismo único e que cada um de nós é apenas uma pequena célula desse imenso organismo? Seria você capaz de provocar, deliberadamente, em seu corpo um ferimento que vai doer muito e cuja cicatrização orgânica e psíquica vai demorar muito e causará muito sofrimento inútil?

- Mas estamos realizando um experimento para descobrir qual será a reação das pessoas a uma agressão gratuita.

- Por que você não aprende primeiro a amar? Por que, em vez de dar um tapa, não dá um beijo nas pessoas? Assim, em lugar de causar-lhes sofrimento, estará demonstrando Amor. E o Amor é a Energia mais poderosa e sublime do Universo... Se você aprender a lição do Amor, logo poderá ensinar Amor para todas as outras células da Humanidade, e tenho a mais concreta certeza de que, em muito pouco tempo, toda a Humanidade será um imenso organismo que distribuirá Amor por todo o Planeta e daí, por extensão, emitirá vibrações de Amor para todo o Universo. Eu amo a todos como amo a mim mesmo. No instante em que você compreender isso, passará a amar a si mesmo e a todos os demais seres humanos da mesma maneira e terá aprendido a Regra de Ouro do Universo: Tudo é Amor! A vida é Amor! Nós somos centelhas de Amor! E por tanto amar você, jamais poderia permitir que você se ferisse, agredindo a mim. Se você ama uma criança, jamais permitirá que ela se machuque ou se fira, porque ela ainda não entende que se agir de determinada maneira perigosa irá ferir-se e irá sofrer. Você a ampararia, não é mesmo? Você deverá aprender, em primeiro lugar a Lição do Amor, a viver o Amor em toda a sua plenitude, pois o Amor é tudo e, se você está vivo, deve sua vida a um Ato de Amor. Pense nisso, medite muito sobre isso. Dê Amor gratuitamente. Ensine Amor com muito Amor e logo verá como tudo a seu redor vai ficar mais sublime, mais diáfano, pois você estará flutuando sob os influxos da Energia mais poderosa do Universo, que é o Amor. E sua vida será sublime...

Instantaneamente, tudo se desfez e se viram em outro ambiente, ainda mais lindo e repousante do que este último em que estiveram. Então o Mestre falou:

- Este é um dos níveis mais elevados a que pode chegar o Ser Humano em sua senda evolutiva, ainda na Matéria, no Planeta Terra. Um homem que conseguiu entender o que é o Amor, já é um Homem sublime, inefável e quase inatingível pelas infelicidades humanas, pois já descobriu o Começo da Verdade, mas ainda não a conhece em toda a sua plenitude, o que só acontecerá quando atingir o nível 7. Logo você descobrirá isso. Dê um tapa nesse homem que aí vem chegando.

E o buscador pediu ao homem que parasse. Quando seus olhares se cruzaram, uma espécie de choque elétrico percorreu-lhe todo o corpo e uma sensação mesclada de amor, compaixão, amizade desinteressada, compreensão, de profundo conhecimento de quase tudo que se relaciona à vida e um enorme sentimento de extrema segurança encheu-lhe todo o seu ser.

- Bata nele! - ordenou o Mestre.
- Não posso, Mestre, não posso...

- Bata nele! Faça um grande esforço, mas terá que bater nele! Nosso aprendizado só estará completo se você bater nele! Faça um grande esforço e bata! Vamos! Agora!

- Não, Mestre. Sua simples presença já é suficiente para que eu consiga compreender a futilidade de lhe dar um tapa. Prefiro dar um tapa em mim mesmo. Nele, porém, jamais!

- Bate-me - disse o Homem com muita firmeza e suavidade - pois só assim aprenderás tua lição e saberás finalmente porque ainda existem guerras na Humanidade.

- Não posso... Não posso...Não tem o menor sentido fazer isso...

- Então - tornou o Homem - já aprendeste tua lição. Quem, dentre todos em quem bateste, a ensinou para ti? Reflete um pouco e me responde.

- Acho que foram os três primeiros, do nível 1 ao 3. Os outros apenas a ilustraram e a complementaram. Agora compreendo o quão atrasados eles estão e o quanto ainda terão que caminhar na senda evolutiva para entender esse fato. Sinto por eles uma compaixão muito profunda. Estão de "muletas" e não sabem disso. E o pior de tudo é que não conseguem perceber que é até muito simples e muito fácil abandoná-las e que, no preciso instante em que as abandonarem, começarão a progredir. Era essa a lição que eu deveria aprender?

- Sim, filho meu. Essa é apenas uma das muitas facetas do Verdadeiro Aprendizado. Ainda terás muito que aprender, mas já aprendeste a primeira e a maior de todas as lições. Existe a Ignorância! - volveu o Homem com suavidade e convicção - Mas ainda existem outras coisas mais que deves ter aprendido. O que foi?

- Aprendi também que é meu dever ensiná-los para que entendam que a vida está muito além daquilo que eles julgam ser muito importante - as suas "muletas" - e também sua busca inútil e desenfreada por sexo, status social, riquezas e poder. Nos outros níveis, comecei a entender que para se ensinar alguma coisa para alguém é preciso que tenhamos aprendido aquilo que vamos ensinar. Mas isso é um processo demorado demais, pois todo mundo quer tudo às pressas, imediatamente...

- A Humanidade ainda é uma criança, mal acabou de nascer, mal acabou de aprender que pode caminhar por conta própria, sem engatinhar, sem precisar usar "muletas". O grande erro é que nós queremos fazer tudo às pressas e medir tudo pela duração de nossas vidas individuais. O importante é que compreendamos que o tempo deve ser contado em termos cósmicos, universais. Se assim o fizermos, começaremos, então, a entender que o Universo é um organismo imenso, ainda relativamente novo e que também está fazendo seu aprendizado por intermédio de nós - seres vivos conscientes e inteligentes que habitamos planetas disseminados por todo o espaço cósmico. Nossa vida individual só terá importância mesmo, se conseguirmos entender e vivenciar este conhecimento, esta grande Verdade: - Somos todos uma imensa equipe energética atuando nos mais diversos níveis energéticos daquilo que é conhecido como Vida e Universo, que, no final das contas, é tudo a mesma coisa.

- Mas sendo assim, para eu aprender tudo de que necessito para poder ensinar aos meus irmãos, precisarei de muito mais que uma vida. Ser-me-ão concedidas mais outras vidas, além desta que agora estou vivendo?

- Mas ainda não conseguiste vislumbrar que só existe uma única Vida e tu já a estás vivendo há milhões e milhões, nos mais diversos níveis? Tu já foste energia pura, átomo, molécula, vírus, bactéria, enfim, todos os seres que já apareceram na escala biológica. E tu ainda és tudo isso. Compreende, filho meu, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

- Mas mesmo assim, então não terei tempo, neste momento atual de minha manifestação no Universo, de aprender tudo o que é necessário ensinar aos meus irmãos que ainda se encontram nos níveis 1, 2 e 3.

- E quem o terá jamais, algum dia? Mas isso não tem a menor importância, pois tu já estás a ensinar o que aprendeste nesta breve jornada mental. Já aprendeste que existem 7 níveis evolutivos possíveis aos seres humanos, aqui, agora, neste Planeta Terra.

Compreendes agora que não será necessário mais do que uma única vida como um ser humano, neste Planeta Terra, para que aprendas tudo e que possas transmitir esse conhecimento a todos os seres humanos nos próximos milênios vindouros? É só uma questão de tempo, não concordas, filho meu? Agora, se quem deste aprendizado tomar conhecimento e, assim mesmo, não desejar progredir, não quiser deixar de lado as "muletas" que está usando ou não quiser aceitar essa verdade tão cristalina, o problema e a responsabilidade já não serão mais teus. Tu e todos os demais que estão transmitindo esse conhecimento já cumpriram as suas partes. Que os outros, os que dele estão tomando conhecimento, cumpram as suas. Para isso são livres e possuem o discernimento e o livre arbítrio suficientes para fazer suas escolhas e nada tens com isso. Entendeste, filho meu?"

domingo, 5 de dezembro de 2010

Meu Derrame de Percepção - Dra. Jill Bolte Taylor

Esta palestra da Dra. Jill Bolte Taylor é um relato de quando teve um derrame, que fez com que ela utilizasse somente o lado Direito do Cérebro.

Uma palestra engraçada, instrutiva e emocionante!
Divulguem e pratiquem o que aprenderem aqui. É espetacular! `^^´

A Humanidade precisa aprender que é possível viver mais, melhor e somente de momentos bons!
De momentos ruins e difíceis, bastam os que os Deuses nos designam como meio de aprendizado, não precisamos nós, homens, dificultar mais ainda nossas vidas!



O que não são - Crowley

"Uma rosa vermelha absorve todas as cores, menos a vermelha; Vermelha, portanto, é a única cor que ela não é. Essa Lei, Razão, Tempo, Espaço, toda Limitação, cega-nos à Verdade Tudo o que sabemos sobre o Homem, Natureza, Deus, é apenas aquilo que eles não são; é aquilo que rejeitam como repugnante."

(Aleister Crowley)